Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 10h:20

Tamanho do texto A - A+

"Para ser candidato, não pode ficar com medinho", diz Taques sobre Mendes

Por: MICHELY FIGUEIREDO

Em entrevista concedida ao Programa Chamada Geral, da Mega FM, nesta quinta-feira (14), o governador Pedro Taques (PSDB) rebateu as críticas feitas pelo ex-aliado e pretenso candidato ao governo de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM). Além das respostas, Taques aproveitou para alfinetar o adversário e declarou que para ser candidato "não pode ficar com medinho".

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques/encontro dos governadores

 Governador Pedro Taques

A fala do tucano é uma alusão à cautela de Mendes neste momento para anunciar se disputa ou não o Palácio Paiaguás. O democrata busca viabilizar o projeto antes de anunciar como certa a sua candidatura, principalmente financeiramente.


"Eu sou o cidadão que mais apanha. Sou incompetente, sou fracassado, como disse o ex-prefeito Mauro Mendes. Diz que tem que mudar o técnico, mas a empresa dele está quebrada. Ele não pode nem escolher quem paga. O técnico foi afastado pelo juiz. Ele é incompetente ou é a crise?", questionou. A indagação se dá porque Mauro Mendes afirma que a dificuldade enfrentada por Mato Grosso neste momento não pode mais ser reflexo da crise, que foi perdendo força já no ano de 2016. Que o problema seria falta de gestão. 


"Como pode um empresário estar em recuperação judicial e a pessoa física ser milionária?", voltou a questionar o governador.


Assim como Mauro Mendes disse que não quer discutir Pedro Taques, Taques também afirmou que não vai discutir Mauro Mendes, mas disse que não vai deixar ataques sem resposta.


"A hora que bate não quer resposta? Ele foi meu companheiro em 2010, em 2012. Mauro Mendes não apareceu no meu programa eleitoral em 2014 porque estava mal das pernas em Cuiabá. O pronto socorro começou no terceiro ano do mandato dele, com nosso parceria, o São Benedito foi reaberto em parceria com a nossa administração. A recuperação dele ocorreu na nossa administração. Então, tem que ser candidato".


Taques ainda expôs, durante a entrevista, o motivo do desentendimento entre Mauro Mendes e Jayme Campos - hoje parceiros no Democratas - nas eleições de 2014. Esse episódio fez com que Jayme Campos recuasse da disputa à reeleição ao Senado.


"Em 2014 ele pediu votos para o Wellington Fagundes, traiu o Jayme. Em 2008 Silval foi o coordenador da campanha dele e em 2010 ele enfrentou o Silval. Em 2012 o Emanuel Pinheiro foi o coordenador da campanha dele e hoje estão brigados. Desejo que tenhamos candidatos, mas para ser candidato não pode ficar com medinho", acrescentou. 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei