Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017, 09h:30

Tamanho do texto A - A+

"Ninguém quer assumir obras da Copa porque só tem roubalheira", diz Wilson Santos

Por: FELIPE LEONEL

O secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB), afirmou que nenhuma empresa tem o interesse de terminar as obras da Copa do Mundo em função das irregularidades nos projetos e também da “roubalheira” promovida pelo ex-governador Silval Barbosa. Uma das obras, a Ponte Benedito Figueiredo, precisa passar por reforços na cabeceira, desgastada pela correnteza, mas nenhuma empresa se habilita ao serviço.

 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

wilson santos

 

“Nós fizemos todo processo licitatório, teve deserções. Ninguém quer saber de obra que sobrou de Copa. Eu peguei essa secretaria com 16 obras da Copa, é roubalheira para tudo quanto é lado, malandragem, falta de projeto e feito nas coxas”, afirmou Wilson Santos, em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta terça-feira (12).

 

"Os empresários quando ouvem que é obra da Copa, ninguém quer saber, todo mundo corre", completou. 

 

Além da ponte, o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) também não foi concluído e o Governo tenta lançar a licitação para concluir o modal de transporte. Somado a isso, outras obras como as dos Centros Oficiais de Treinamento (COTs) do Pari e da UFMT também aguardam a conclusão. A Trincheira Santa Rosa, na Miguel Sutil, também está passando por reparos.

 

De acordo com o secretário Wilson Santos, sobre a obra da Ponte Benedito Figueiredo, o Governo fará uma contratação emergencial. Ele ainda defendeu que a empresa Três Irmãos Engenharia, construtora da obra, do atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Avalone, não teve culpa no desgaste da cabeceira. Ele disse que não há riscos de a ponte cair.  

 

"O rio é um elemento vivo, ele muda permanentemente e deslocou. Formou uma ilha e pegou essa cabeceira. Isso pode deslocar para direita no futuro também. O erro começa na escolha do local da ponte, fizeram a ponte numa curva do Rio Coxipó. Tinha 'N' lugares para fazer essa ponte, mais para cima, mais pra baixo", citou o secretário. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto