Terça-Feira, 17 de Julho de 2018, 17h:02

Tamanho do texto A - A+

"Não tenho tempo para ter medo", dispara Taques sobre reeleição

Por: DANNA BELLE

O governador Pedro Taques (PSDB) e o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) se reuniram no último sábado (14) para discutir sobre alianças políticas para as eleições deste ano. Apesar do parlamentar ter recusado o convite do governador para ser vice em sua chapa, o diálogo com o tucano não foi rompido. Mesmo cumprindo as deciões judiciais por supostas propagandas e conversar com possíveis aliados, o gestor não confirma a candidatura à reeleição.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

adilton sachetti

 Sachetti rejeitou convite para ser vice de Taques na reeleição ao Palácio Paiaguás 

"Eu tive uma conversa sábado com Sachetti, ele estava preocupado com os números do Estado. Falei: ‘Sachetti eu sendo candidato, você não quer vir para o lado de cá? Do outro lado você não tem vaga’”, contou Taques durante almoço com jornalistas nesta terça-feira (17).

 

O parlamentar informou à imprensa que recusou a proposta a vice, pois quer disputar uma das duas vagas ao Senado disponíveis para Mato Grosso. Há negociações avançadas com o grupo do ex-prefeito Mauro Mendes (DEM), porém o ex-governador Jaime Campos (DEM) e o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) teriam preferência para concorrer ao Senado, forçando Sachetti a mudar de grupo ou de pretensão ao cargo.

 

“Sachetti falou que estava conversando com Mauro e tem compromisso para lá. Ficamos de conversar novamente nesta semana. Ele é bem-vindo porque é um homem sério e eu gosto muito dele”, declarou o governador.

 

Durante entrevista na semana passada, Adilton não descartou a possibilidade de sair em chapa do governador Pedro Taques.

 

“Disputar com Taques não seria impossível. Nunca fechei a porta para ninguém. Se esgotar todas as possibilidades eu vou para outra”, afirmou Sachetti.

 

Na chapa de Taques, o único nome confirmado para Senado  é do deputado federal Nilson Leitão (PSDB).

 

Reeleição

Taques ainda não confirmou se irá a reeleição, mas justificou “não tenho tempo para ter medo” e disse que irá decidir o quanto antes.

 

O tucano reconhece a grande dificuldade da eleição deste ano, mas “mostrará o que fez” para a população mato-grossense poder decidir qual candidato escolher. O gestor se comparou ao seu provável adversário.

 

“Ganhar ou perder a eleição faz parte. Fiz duas eleições, ganhei as duas, momentos diversos. Mauro Mendes disputou em 2008 perdeu, 2010 perdeu, 2012 ganhou. É o momento que você vive reflete na eleição”, comentou.

 

Selma Arruda

Alan Cosme/HiperNoticias

selma arruda

 Juíza aposentada e pré-candidata ao Senado pelo PSL, Selma Arruda

A juíza aposentada Selma Arruda (PSL) tem dialogado com frequência com Taques, porém ambos negam ter conversado sobre cargos dentro da chapa.

 

“Conversamos sobre política, a juíza Selma, depois que saiu do Poder Judiciário, conversa bastante comigo, porque queria sim, a nossa história é mais ou menos parecida”, explicou Taques.

 

PSD

Dentro do Partido Social Democrático há uma rusga, alguns deputados estaduais seguem mantendo a posição de apoiar o atual governador na reeleição, indo na contramão da orientação dada pela sigla.

 

O vereador por Cuiabá, Toninho de Souza (PSD) explicou, na última sexta-feira (13), que o posicionamento estava forte para o apoio de Taques, mas mudou porque os deputados começaram a compreender melhor sobre a importância de acompanhar o partido devido a necessidade de legenda para conseguirem se eleger.

 

Contrapondo a argumentação do vereador, Taques contou que “os quatro deputados do PSD e vários prefeitos estão no nosso projeto político”.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto