Quarta-Feira, 05 de Dezembro de 2018, 15h:19

Tamanho do texto A - A+

"Muita gente vai ficar sem receber", aponta Mendes sobre rombo de R$ 1,5 bilhão

Por: LEONARDO HEITOR

"Muita gente vai ficar sem receber, porque não terá dinheiro em caixa para pagar". A frase apocalíptica é do governador eleito Mauro Mendes (DEM), após ter se reunido, na manhã desta quarta-feira (5), com os deputados da atual legislatura na Assembleia Legislativa (ALMT). A pauta do encontro foi, entre outras coisas, o orçamento do Estado para 2019.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

mauro mendes

 

Segundo Mauro Mendes, foi debatido com os parlamentares o cenário do Estado de 2018 e o orçamento para 2019. Ele apontou que os números apresentados na prévia do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) que será enviado à ALMT, preveem um déficit de R$ 1,5 bilhão entre receitas e despesas para o próximo ano.

 

"Tivemos uma reunião ampliada com os deputados para que pudéssemos conversar sobre o cenário de 2018 e a execução orçamentária e financeira do Estado que aponta para um déficit de recursos na ordem de R$ 1,8 bilhão e apresentei uma prévia do orçamento real e verdadeiro, que está sendo elaborado, para ser enviado para a ALMT de 2019, que aponta um déficit de R$ 1,5 bilhão", disse Mauro.

 

O governador eleito foi enfático ao apontar que o déficit previsto para 2019, somado ao registrado em 2018, resultará em vários fornecedores sem receber, pelo menos no curto prazo. Ele apontou que a realidade do Estado é esta e destacou ainda o não pagamento de duodécimos aos Poderes, praticados pela atual gestão.

 

"Muita gente vai ficar sem receber, porque não terá dinheiro em caixa para pagar. Esta é a dura realidade do Estado de Mato Grosso neste momento e que todos conhecem, porque existem centenas ou até mesmo milhares de fornecedores sem receber. Atrasos aos Poderes estão sendo registrados há três anos, entre outros", disse.

 

Mauro Mendes afirmou que pediu para que sua equipe apresentasse os números previstos para o próximo ano de forma clara e dentro da realidade. O governador eleito aproveitou ainda para criticar a gestão do atual chefe do Executivo estadual, Pedro Taques (PSDB), a quem acusou de ter adotado a prática de enviar apenas orçamentos fora da realidade. 

 

"Pedi que a equipe técnica fizesse a previsão orçamentária de 2019 de forma clara, cuidadosa e dentro da mais absoluta realidade dos números. Quero uma LOA verdadeira, realística, que traduza efetivamente a realidade daquilo que deverá ou poderá acontecer no ano que vem. Não podemos mais viver num cenário de mentiras, fazendo de conta como em todos os anos, de que estava tudo equilibrado", completou.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 14



2 Comentários

RICARDO - 06/12/2018

Prometeu que ia antecipar o Salário é agora vem falar que não tem dinheiro? Vai ficar com o mesmo discurso de quando foi prefeito se gabando e pondo culpas no governo passado. Tente pelo menos fazer igual o antigo governo em não deixar o salário atrasar. No mais torço para seja bem sucedido pois o povo mato-grossense merece ser respeitado.

jose luis - 05/12/2018

É COM SEDE DE PODER E GOVERNAR ,AGORA VAI PAGAR CARO ,E TER SUA LIBERDADE E FERIAS,O ESTADO DE MATO GROSSO NAO E PARAISO,ESSE REFLEXO DESSAS DIVIDAS JÁ VEM DE MUITO TEMPO COM A GESTÃO DO SR SILVAL E O PEDRO TAQUES TENTOU DE TODAS MANEIRAS GOVERNAR ASSIM MESMO ,E O POVO E O SR MM SE ACHANDO QUE IA ENCONTRAR UM PARAISO ,TERMINOU ENCONTRANDO UM INFERNO E AINDA TERÁ SEUS ALIADOS PARA SUJAR MAIS ,RESUMINDO SERÁ UM GOVERNO DE MM UM DESASTRE E SUA VIDA PARTICULAR PIOR AINDA .AGORA GANHOU VAI TER QUE SEVIRAR PARA GOVERNAR .

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA