Quarta-Feira, 10 de Outubro de 2018, 08h:27

Tamanho do texto A - A+

"Mauro Mendes encontrará um Estado muito melhor", diz Ciro Rodolpho

Por: LEONARDO HEITOR

Após a reunião de secretariado convocada pelo governador Pedro Taques (PSDB), na manhã desta terça-feira (9), o secretário-chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho Gonçalves, afirmou que Mauro Mendes encontrará o Estado de uma forma muito melhor do que a encontrada pelo atual chefe do Executivo estadual.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ciro gonçalves

 

Segundo o secretário, a equipe de transição por parte do Governo será formada por, além dele, outras cinco secretarias. Ciro Rodolpho afirmou que a resolução do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que prevê a junção das equipes atuais e futuras, será seguida da melhor forma possível.

 

"Faremos uma comissão de transmissão de mandato. Este instrumento irá regrar esta articulação das missões que estamos a construir e as que se iniciarão por parte do novo governo. Ela será coordenada pela chefia da Casa Civil, em conjunto com as secretarias de Fazenda, Planejamento, Gestão, Controladoria e Procuradoria Geral do Estado", explicou. 

 

Ciro também explicou que estarão à disposição para receber os representantes do futuro governador assim que eles acharem necessário. O secretário da Casa Civil confirmou que a atual gestão continuará agindo da mesma forma que antes da eleição e cumprindo os cronogramas, principalmente em relação a entrega de obras.

 

"A partir de amanhã estaremos prontos para recebê-los. Da mesma forma que entramos, de uma maneira democrática, estamos encerrando, com o mesmo respeito aos que tem que conduzir o futuro dos mato-grossenses. A pauta de entregas públicas continua da mesma forma. Esse é o espírito público do governador mais uma vez dando demonstração de respeito a toda lei existente", disse.

 

Ao comentar sobre a atual situação do Estado e como ele será entregue para a gestão de Mauro Mendes em janeiro, Ciro Rodolpho disse que Taques recebeu o Estado quebrado e que, mesmo com a situação adversa na economia do país, conseguiu fazer uma boa gestão diante do Executivo estadual.

 

"Recebemos um Estado quebrado eticamente, em relação a sua integridade e moral, e isso é incontestável. Em relação a questão fiscal e financeira, entregaremos em uma condição melhor que a de 2014. É preciso avaliar a travessia dos 27 Estados do País. Nós temos hoje oito deles com salários atrasados, que passam dificuldades com seus fornecedores, mas  Mato Grosso vem sendo conduzido. Os secretários de Fazenda que passaram pela Pasta ao lado do governador garantiram que chegássemos até aqui com todos os salários dos nossos servidores em dia, com repactuação com Poderes sobre o duodécimo e a PEC do Teto de Gastos", completou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei