Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017, 18h:08

Tamanho do texto A - A+

Leitão defende saída do PSDB da gestão Temer e diz que a política mata a economia

Por: RENAN MARCEL

Presidente do PSDB em Mato Grosso, o deputado federal Nilson Leitão tem defendido, em Brasília, que o seu partido deixe o governo do presidente Michel Temer (PMDB). Os tucanos foram, até então, os principais apoiadores da gestão e comandam cinco ministérios.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

nilson leitao

 

A postura ocorre após o vazamento da delação da JBS, que trouxe gravações do peemedebista autorizando a compra de silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, que está preso por conta da Operação Lava Jato.

 

“Defendo que o presidente Temer renuncie e, caso não o faça, que o PSDB desembarque do governo. Minha posição tem sido firme nesse sentido, mesmo reconhecendo que houve uma melhora na economia e na geração de emprego durante a gestão”, disse.

 

Leitão avalia que as consequências da denúncia envolvendo o presidente podem ser catastróficas para a economia brasileira. Nessa quinta-feira (18), o dólar teve uma das maiores altas da última década e a Bovespa registrou queda brusca.

 

“O Brasil não aguentará mais duas ou três semanas com o noticiário sobre o assunto. O País desligou o motor que estava funcionando, não no ritmo que precisava, mas que já havia melhorado a economia. A instabilidade política é fatal para a economia”, concluiu.

 

Logo após falar com a reportagem, Leitão emitiu nota à imprensa. Confira a íntegra:

 

Diante da crise partidária que se abateu sobre o meu partido, e da convulsão institucional que já assolava o país há tempos e se agravou nas últimas 24 horas, gostaria de deixar clara a posição que defenderei:

 

- Defendi o Afastamento do senador Aécio Neves da presidência do PSDB,até que sejam esclarecidas as denúncias que pesam sobre ele;

 

- Desembarque imediato do PSDB do Governo de Michel Temer, com a entrega dos cargos pelos ministros do partido;

 

- Renúncia do presidente Michel Temer, para permitir que a estabilidade seja reestabelecida nesse momento tão crítico do país; Mesmo entendendo a melhora da economia e do emprego, é necessário estancar a crise imediatamente;

 

- Disposição dos presidentes da Câmara e do Senado em abrirem mão da linha sucessória para a Presidência da República na vacância do cargo, permitindo que a presidente do STF assuma o cargo interinamente;

- Condução de novo processo eleitoral pela presidente do STF, Carmen Lúcia, em no máximo 30 dias, como determina a Constituição Federal.

 

Dep. Nilson Leitão (PSDB-MT)

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto