Sexta-Feira, 24 de Março de 2017, 18h:00

Tamanho do texto A - A+

Leitão defende que Temer abra caixa preta da Previdência Social antes de aprovar reforma

Por: GLAUCIA COLOGNESI

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) acredita que o presidente da República, Michel Temer (PMDB) está invertendo a ordem das coisas e “colocando a carroça na frente dos bois” ao propor a Reforma da Previdência no Congresso, neste momento. O tucano defendeu que esta reforma fique para depois de abrir a Caixa Preta da Previdência Nacional. O mesmo entendimento ele tem em relação à reforma da Previdência Estadual que deve vir logo depois.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

nilson leitao

Deputado federal Nilson Leitão defende que Reforma da Previdência seja adiada.

“O governador Pedro Taques me garantiu que antes dele entrar nesta seara ele vai fazer um estudo profundo durante todo o tempo que for necessário, trazendo institutos ou fundações que tenha conhecimento nisso, para fazer essa auditoria. É o que eu defendo inclusive na nacional. Antes de fazer reforma na previdência tem que estudar primeiro as fraudes, ver o que está errado, fazer de fato uma transparência neste setor, que em minha opinião é uma caixa preta”, afirmou.

 

Segundo Leitão, os números sobre a Previdência não batem. O debate sobre a questão com representantes do setor rural em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Sul, e a quantidade de aposentados rurais que tem no Brasil, não confere com os números que tem no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Tem mais aposentado do que de fato população. Então tem que fazer primeiro uma auditoria neste setor. Hoje para você ter uma aposentadoria rural basta você ter uma declaração do sindicato rural da sua cidade. É claro que neste meio tem muita gente séria que trabalhou nisso e tem muita gente não tão séria também que pode ter expedido declarações que não são reais”, explicou.

 

Apesar de defender que haja uma investigação, Nilson Leitão diz não estar convicto que necessite de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) conforme o Senador Federal pretende instaurar. “Não sei se CPI é o caminho. CPI debate investigação de uma fraude que tem fato concreto. Nem sei se tem legitimidade pra CPI. De toda forma acho que tem que ter sim uma investigação, uma auditoria, acompanhada pelo Congresso Nacional”, ponderou.

 

 

O parlamentar defende que esta auditoria também tem que ser feita aqui no estado e que depois disso, ao se debater a reforma, ela atinja a todos indistintamente, inclusive à classe política. “Com essa auditoria as pessoas que merecem e que tem uma aposentadoria correta serão protegidas. Tem muitas inverdades sendo colocadas, até mesmo na classe política. Eu não tenho aposentadoria e nem perspectiva, eu não recolhi e não estou recolhendo. Há dez anos aposentava do jeito que queria. Eu acho que tem que ter um teto, ninguém pode ter mais que uma aposentadoria, eu acho que tem que corrigir equívocos e isso cabe aos servidores públicos, à área privada e à classe política”, pontuou.

  

 

Por último, Leitão concordou com apenas uma medida do presidente Michel Temer que foi de desvincular os estados à reforma da previdência nacional para conseguir passar mais fácil a proposta no Congresso. Ele acredita que a reforma não vai sair, neste ano, nos estados por conta da aproximação das eleições nacional e estadual. "Devido aos interesses de reeleição dos deputados estaduais, não tem clima para se discutir reforma da previdência na Assembleia Legislativa", frisou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Carlos Nunes - 25/03/2017

Concordo com o Deputado...tem que abrir a caixa preta da Previdência, pois os boatos são muitos - até que o dinheiro da Previdência é desviado para pagar Bolsa Família. Quem recebe Bolsa Família contribuiu, contribui com a Previdência. Bolsa Família tem que ter uma fonte de dinheiro fora da Previdência. Aproveita e chama a professora, Doutora em Economia, DENISE LOBATO GENTIL, que entende muito de Previdência, inclusive fez sua tese de Doutorado em cima dos dados da Previdência Brasileira. A Dra. GENTIL, contesta os números do Governo, contesta o déficit, contesta a Reforma. Diz que muito dinheiro da Previdência é desviado para outras finalidades. Quais são? Já que vai mexer com a Previdência, tem que mexer com o Ministério da Previdência, o INSS - quem deveria dirigir tudo isso, e todas as chefias do INSS, deveriam ser OS APOSENTADOS, que são donos do negócio. Aposentado é o dono, mas não apita nada.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA