Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 15h:01

Tamanho do texto A - A+

Kardec diz que governo não consegue aprovar Fundo de Estabilização Fiscal na AL

Por: FELIPE LEONEL

O deputado estadual Allan Kardec (PT) afirmou que o Governo do Estado não conseguirá aprovar o Fundo de Estabilização Fiscal na Assembleia Legislativa. O Fundo seria uma segurança para o Estado garantir o fluxo de caixa e todos os Poderes e órgãos independentes iriam contribuir com partes dos duodécimos (repasses constitucionais). 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

allan kardec

Deputado Allan Kardec (PT)

O governo pretende retirar cerca de 20% do repasse dos Poderes, referente ao custeio da máquina, para destinar ao fundo, que seria utilizado em emergências para pagar fornecedores e salários. De acordo com a equipe econômica do governo, caso não consiga criar o Fundo, o Estado poderá atrasar salários e o repasse do duodécimo também será afetado. 

 

O Fundo precisa ser criado através de lei na ALMT. "O governo vai terminar se arrastando em 2018. Não passa. Eu não vejo possibilidade de passar e olha que o presidente Eduardo Botelho é um parceiro do governador. Tem sofrido, tem apanhado e aguenta firme. O governador não fez a tarefa de casa, uma restruturação", afirmou Kardec, em entrevista à Rádio Capital FM. 

 

O parlamentar lembrou ainda a falta de pagamento de emendas impositivas dos parlamentares. Ainda de acordo com o deputado estadual, os fornecedores da Assembleia Legislativa formam filas no gabinete do presidente Eduardo Botelho para fazer cobranças. 

 

"Não tem condições de isso acontecer. Os outros Poderes também estão em um processo de empobrecimento, ele [Taques] vem com o caos no Estado em 2015, 2016 e 2017, fala que a culpa é do Silval. Aí ele fala para nós que precisa mais, apertar mais os Poderes, aumentar imposto de servidor público", disse. 

 

“Quer mandar nos Poderes”

 

Ainda de acordo com o deputado estadual, o governador Pedro Taques quer mandar dentro da Assembleia Legislativa e nos outros Poderes.

 

"E tem mais, ele chegou ao ponto de dizer, na mensagem de abertura dos trabalhos da Assembleia, de perguntar quanto é a folha. 'Ah é R$ 20 milhões, vou passar a folha e fornecedores vocês pagam depois. Agora quer mandar dentro da Assembleia Legislava, dentro dos outros Poderes. Acho que a experiência Taques está no fim", finalizou o deputado.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto