Terça-Feira, 22 de Maio de 2018, 09h:52

Tamanho do texto A - A+

Juíza diz que é ameaçada pelo Comando Vermelho

Por: FELIPE LEONEL

A juíza aposentada Selma Arruda (PSL), pré-candidata ao Senado Federal, afirmou que vem sendo ameaçada pela facção criminosa Comando Vermelho em função de condenações proferidas por ela quando era titular da Sétima Vara Criminal de Cuiabá. A magistrada teve o direito de ser acompanhada por seguranças retirado pelo Tribunal de Justiça.

 

Alan CosmeHiperNoticias

selma arruda

 

"A última delas aconteceu na sexta-feira (18) e é ligada, provavelmente, a um fato ocorrido quando eu estava na Sétima Vara, que foi a exoneração de um policial", disse à Rádio Capital FM, nesta segunda-feira (22). "A Corregedoria do TJ me passou uma notícia de que o Comando Vermelho estava comprando fuzis, armas, cercando minha casa e saberiam dos meus atos". 

 

De acordo com a magistrada, o governador Pedro Taques, quando era candidato ao Senado e tinha acabo de sair do Ministério Público Federal (MPF), também utilizava os seguranças disponibilizados pelo Judiciário em atos públicos. Ela ainda apontou imprudência na divulgação da retirada da escolta, a colocando "na jaula de leões". 

 

"Eu não sei quem divulgou, se foi a Comissão, se vazou, o que aconteceu. Sei dizer que, nessas condições, o TJ reveja essa decisão. Tornar público o fato de que uma pessoa não tem mais nenhum tipo de proteção, realmente é quase um crime. É como me colocar numa jaula de leões, esperando eu ser executada", disparou a juíza. 

 

Segundo a juíza aposentada, a decisão do Tribunal de Justiça foi tomada sem o respaldo da Coordenadoria Militar. A Coordenadoria teria sugerido a continuidade da segurança à Selma por mais seis meses, não descartando ainda a possibilidade de prorrogar esse prazo. Ela também disse estar entre os 38 magistrado e magistrados aposentados mais vulneráveis do Brasil.

 

De acordo com o despacho do TJ, a magistrada estaria utilizando a escolta para fins pessoais e em eventos políticos. Selma Arruda rebateu, afirmando ter aberto mão de muitas coisas na vida em função da vida de juíza, além de estar aposentada e poder exercer os direitos políticos dela. Para Selma, os eventos dos quais participa não são políticos, mas "palestras". 

 

Ela vai recorrer da decisão. "Eu me arrisquei muito para aplicar a lei nesse Estado. Eu tenho direito a segurança e não vejo motivo para isso não ser reconhecido", disse. "Eu trouxe, durante minha carreira, muitos benefícios ao Estado. O gasto do Estado com minha segurança é mínimo perto de todo recurso recuperado com a minha ajuda", concluiu Selma Arruda. 

Avalie esta matéria: Gostei +3 | Não gostei - 4

Leia mais sobre este assunto




3 Comentários

Carlos Nunes - 22/05/2018

O TJ puxou foi o tapete da Juíza...jogou-a desamparada aos leões Leões> crime organizado, máfias, corruptos, facções criminosas, etc. Agora a Juíza só pode contar é com seu Anjo da Guarda, que deve ser bem forte. O Anjo da Guarda dos Justos é uma fortaleza. É bom a Juíza antes da sair de casa, ler o Salmo 23 da Bíblia, de proteção. Em Mato Grosso do Sul, o Juiz Odilon, jurado de morte pelo crime organizado, também será candidato ao Senado. E não vão tirar sua Segurança.

maria - 22/05/2018

É verdade..ela fez muito o que poucos homens teriam coragem de fazer. Alias, aqui em MT não vi nenhum cabra macho fazer. Nada mais justo que a segurança seja mantida.

Junior - 22/05/2018

Sra juiza vai curtir sua aposentadoria a beira mar, larga mão de política.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA