Terça-Feira, 07 de Agosto de 2018, 18h:41

Tamanho do texto A - A+

Janaina rebate Taques sobre CPI dos Grampos e propõe investigação de ex-gestores da AL

Por: DANNA BELLE

O governador Pedro Taques (PSDB) rebateu a líder da oposição na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Janaina Riva (MDB), ao afirmar para um site da Capital que a Casa é livre para instaurar Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre qualquer assunto, porém questiona porque o ex-presidente José Riva (sem partido), pai da parlamentar, não foi investigado mesmo sendo responsável por um rombo nos cofres da ALMT. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

janaina riva

 Janaina Riva propôs CPI dos Grampos para investigar escutas telefônicas ilegais realizadas a mando do governador

A deputada respondeu ao tucano, por meio de nota e vídeo, afirmando que Taques visa tirar o foco da CPI dos Grampos, proposta por ela, apresentando documento solicitando a abertura de uma CPI para investigar os últimos 22 anos de gestão na ALMT, inclusive pedindo depoimento de José Riva. 

 

Segundo a parlamentar, o governador havia sugerido aos deputados da sua base que iniciassem essa CPI, porém nada ocorreu. Mas, agora, o requerimento conta com a primeira assinatura, a de Janaina, sendo necessário apenas mais sete parlamentares dispostos a assinar. 

 

A emedebista havia desafiado o tucano, em março do ano passado, a instalar a CPI caso o governador liberasse os deputados da base para assinarem o requerimento de abertura da CPI do MT Prev (Mato Grosso Previdência) com a intenção de investigar o rombo do Fundo Previdenciário dos servidores do Poder Executivo do Estado. 

 

Confira nota na integra: 

 

Em resposta à fala do governador Pedro Taques a um site da capital “questionando a falta de investigação de suposto rombo causado pela família Riva na Assembleia Legislativa”, numa clara tentativa de tirar o foco da CPI dos Grampos telefônicos ilegais, protagonizados por ele para fraudar as eleições e ouvir adversário políticos, a deputada estadual Janaina Riva (MDB), vem a público esclarecer que em março de 2017 lançou um desafio ao governador para que ele ‘liberasse’ a base dele para assinar a CPI do MT Prev, cujo objetivo era investigar o rombo da previdência em Mato Grosso, que em troca ela mesma iria propor uma CPI para investigar os últimos 22 anos de gestão na Assembleia Legislativa, inclusive convocando o próprio pai, ex-deputado José Riva, para depor.  À época ele não se manifestou porque toda a base dele na Assembleia era composta justamente pelos mesmos deputados que fizeram parte das mesas diretoras junto com pai da parlamentar e respondem criminalmente pelos supostos desvios junto com Riva. “Está aí o vídeo para comprovar, aliás o desafio continua de pé, mas dessa vez, quero que ao invés da CPI do MT Prev, ele deixe de interferir no processo para investigar o primo preso dele por desvios no Detran e pelos grampos ilegais”. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto