Quinta-Feira, 13 de Abril de 2017, 07h:40

Tamanho do texto A - A+

Jajah reclama que não foi avisado e que soube da volta de Wilson pela imprensa

Por: GLAUCIA COLOGNESI

O suplente do deputado Wilson Santos (PSDB) na Assembleia Legislativa, Jajah Neves (PSDB), reclamou de não ter sido avisado pelo titular da vaga sobre a volta dele ao Parlamento. Jajah disse que soube através da imprensa e que não recebeu sequer uma ligação de Wilson para comunicá-lo desta volta repentina. 

 

ALMT

jajah neves

Deputado Jajah Neves diz que foi pego de surpresa com notícia da volta de Wilson

O parlamentar, momentaneamente fora da AL, lamentou que esse retorno relâmpago de Santos e sem comunicação prévia esteja atrapalhando o andamento de alguns trabalhos que ele já vinha desenvolvendo.

 

“Fiquei muito surpreso quando soube pela imprensa que Wilson retornaria, devido ao nosso trabalho aqui. Tive que cancelar toda a agenda. Quero pedir desculpas publicamente ao prefeito de Nobres, onde eu deveria estar na segunda-feira passada fazendo uma visita por todo o munícipio, aos vereadores e empresários daquele município, mas não fui porque eu não estava deputado estadual. Quero pedir desculpas também ao prefeito de Acorizal, onde tinha compromisso na terça-feira, e não pude comparecer, porque eu não estava deputado estadual”, disse.

 

Jajah explica que na manhã de quarta-feira (12) também tinha 12 prefeitos para receber no gabinete para debater sobre questões do Vale do Rio Cuiabá, à tarde tinha que acompanhar uma comitiva de 20 pessoas em uma audiência com o governador Pedro Taques. Contudo, Jajah disse que, a partir desta quarta-feira, recebeu sinal verde de Wilson Santos para continuar seu trabalho e que hoje mesmo volta a “tocar o barco”. “Estamos levantando discussão sobre a concessão da BR 163, com nove praças de pedágio e arrecadação mensal de R$ 300 mil, o contrato não está sendo cumprido, mas tivemos que dar uma pausa e aguardar esse impasse. Como deputado ou como cidadão continuarei debatendo este assunto”, frisou.

 

 

Jajah e Wilson negaram qualquer descumprimento de acordo entre eles. “Houve especulações de que eu não tinha cumprido acordos com o deputado Wilson. O Jajah Neves não tem nada a se cumprir com o deputado Wilson, como deputado estadual tem compromisso a se cumprir com o povo do estado de Mato Grosso”, afirmou Jajah. Ele também negou que tenha existido acerto financeiro entre eles para que houvesse o rodízio entre eles. “Se existe isso na Assembleia, quando um titular sai e um suplente entra, acerto acerca de acerto financeiro ou repasse de parte do salário de deputado, isso eu não sei. O que eu posso garantir é que da minha parte jamais haverá qualquer entendimento que não vá agir de forma republicana”, garantiu.

 

Wilson admitiu que houve uma falha na comunicação com seu suplente e explicou que o incidente ocorreu devido ao seu desejo e ao seu ímpeto de resolver logo o assunto do VLT. Contudo, Wilson garante que o assunto já foi resolvido e superado. Santos disse que pretende minimizar os transtornos com a sua volta liberando o gabinete para que Jajah o continue utilizando.

 

Wilson observou que sempre se licenciou da AL, em todos os seus mandatos de deputado estadual e federal, para beneficiar seus suplentes. “Em 1993 para contemplar o suplente de deputado e hoje conselheiro do TCE, Antonio Joaquim, quando foi deputado federal para contemplar o suplente José Magalhães, e em outubro do ano passado abrindo espaço para Jajah na AL”, ressaltou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto




2 Comentários

marco aurelio delgado de almeida balsa - 25/04/2017

jajah explica para a população onde você esta fastando R$100 mil de verba de gabinete? ou será que você esta colocando na sua conta pessoal?

Carlos Nunes - 13/04/2017

Pois é, enquanto vários deputados se preocupam com os 141 municípios de MT, onde os prefeitos estão com o pires na mão precisando de verbas pra atender o povo...querem torrar 1 Bilhão de reais só em Cuiabá, e uma lasquinha pra VG. Peraí, se fosse uma época das vacas gordas, até que justificava; mas não é, a época da vaca magra e da carne fraca. O cobertor(dinheiro) é curto - e cobertor curto é assim: se cobre a cabeça, descobre os pés, se cobre os pés, descobre a cabeça. Resumindo: Em qual região de MT daquelas bem carentes, esse 1 Bilhão do VLT, vai fazer uma falta danada? VLT agora é supérfluo, pois tem uma lista de prioridades muito mais importantes para o povo. Ano que vem, será a eleição pra Governador, 2 Senadores, Deputados Federal e Estadual...e os prefeitos virão atrás de verbas. Prefeito que sair insatisfeito não apoia determinado candidato. Vão justificar O QUE? Que não tem dinheiro porque tá torrando 1 BI no VLT? Outro dia, um cuiabano foi passear num município, lá teve um enfarte, precisava de uma UTI, e não tinha; colocaram-no num carro pra levar pra outro município...morreu no caminho. Se a Saúde por aqui está ruim, imagine como está em vários municípios de MT. Enquanto está morrendo gente, o pessoal tá louco pra andar de trenzinho?

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA