Segunda-Feira, 09 de Outubro de 2017, 10h:35

Tamanho do texto A - A+

Governador volta a defender coronéis presos e cobra ação do MP contra Perri

Por: PABLO RODRIGO

Em depoimento ao Núcleo de Ações de Competência Originária (NACO) do Ministério Público Estadual (MPE), o governador Pedro Taques (PSDB) voltou a defender os coronéis Zaqueu Barbosa (ex-comandante da Polícia Militar), Evandro Lesco (ex-chefe da Casa Militar) e Ronelson Jorge de Barros (ex-adjunto da Casa Militar), todos presos por envolvimento ao "Escândalo dos Grampos" em Mato Grosso.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques

 

"O depoente quer registrar que os Coronéis Zaqueu, Lesco e Barros são pessoas sérias, decentes, íntegras;", disse Taques ao prestar esclarecimentos sobre a fraude no protocolo da Casa Civil em outubro de 2015.

 

O MPE arquivou o procedimento investigatório criminal instaurado contra o promotor de Justiça Mauro Zaque para apurar a suposta prática dos crimes de falsificação de documento público, prevaricação e denunciação caluniosa no “caso dos grampos”, que foi feita pelo próprio chefe do Palácio Paiaguás.

 

Pedro Taques também cobrou, de maneira indireta, um posicionamento do Ministério Público em relação ao desembargador Orlando Perri, que é o relator das investigações dos grampos no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT)

 

"Quer registrar também sua surpresa com a total omissão do MPE em não tomar providências legais contra o que considera um juizo universal, vez que o Desembargador do TJMT está praticando uma ilegalidade investigativa na condução das investigações, trazendo para si casos que não são de sua competência; que não entende também como não estão sendo tomadas providências em relação aos juízes que deferiram as medidas e em face dos Promotores enquanto os policiais militares estão respondendo a ações de improbidade e continuam presos", diz outro trecho do depoimento do governador.

 

Coroneis presos

 

Os coronéis Evandro Lesco e Zaqueu Barbosa estão presos por determinação do Tribunal de Justiça. Zaqueu desde 23 de maio e Lesco desde o último dia 27 de setembro.

 

Lesco é acusado de tentar gravar o desembargador Orlando Perri. Já Zaque é considerado ser um dos prinicipais líderes dos grampos clandestinos.

 

Antes da Operação Esdras, que prendeu os ex-secretários Rogers Jarbas, Airton Siqueira, Paulo Taques, e os militares João Ricardo Soler Michel Ferronato, o governador teceu duras críticas ao governador.

 

"A decisão do senhor Orlando Perri merece os recursos judiciais apropriados, inclusive no Conselho Nacional de Justiça, porque ele está se arvorando a delegado de polícia, ele está se arvorando a membro do Ministério Público, violando sua imparcialidade”, disse o governador e coletiva no mês passado.  

Avalie esta matéria: Gostei +5 | Não gostei - 7

Leia mais sobre este assunto




2 Comentários

Carlos Nunes - 09/10/2017

Puxa vida! Enquanto isso...nós, os eleitores, os verdadeiros donos do Poder, só queremos algumas coisas: 1) apoio total ao Desembargador Perri pra desvendar Quem foi o "gênio" que inventou o imbróglio dos Grampos? Quem foi o "pai da criança"? Como diz o ditado popular...esse deve ser da alta cúpula. 2) que os Coronéis tenham um pouco de PATRIOTISMO e contem tudo. Contar tudo significa falar A VERDADE, nada mais do que a Verdade. Não se faz mais Coronéis como antigamente...esqueceram da pátria amada Brasil. É isso que avacalhou a Nação.

Celso Garcia Paulo. - 09/10/2017

Governo fraco e incompetente. Só colocou nós quadros mafiosos. Não é mais procurador do MPF e não larga a mania. Aqui camarada não é a Venezuela de Maduro nem a Bolívia de Morales. Quer voltar a ser procurador faça um novo concurso, só que não passa mais pela burrice tamanha. É bom ficar no seu quadrado como disse o Dr Perri. Dá nojo as conversas maçantes desse governo.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA