Segunda-Feira, 05 de Março de 2018, 14h:11

Tamanho do texto A - A+

Governador chama opositores de "fracassados" e diz que não faz "esquemas"

Por: FELIPE LEONEL

O governador Pedro Taques (PSDB) aproveitou a Caravana da Transformação, em Cáceres (217 km de Cuiabá), para contestar criticas da oposição sobre o seu governo. Durante inauguração da reconstrução da Avenida Tancredo Neves, no sábado (3), Taques chamou os oposicionistas de "fracassados" e disse que não "faz esquemas" como na gestão anterior.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

pedro taques

 

"Aqueles que reclamam, vão continuar reclamando, porque são fracassados. Não conseguem fazer alguma coisa que presta e só reclamam", afirmou o governador, demonstrando a avenida, construída entre 1984 e 1986 pelo governo Julio Campos (DEM) e que não havia passado por reforma deste então.

 

"Essa avenida é a demonstração que é possível fazer e não adianta ficar de cara feia. Nós vamos transformar o Estado de Mato Grosso", completou o gestor.

 

Dentre as críticas da gestão Taques está a suposta falta de planejamento do governo, que deixou de fazer reformas necessárias no começo da gestão e agora penaliza os Poderes e órgãos independentes com a ausência do duodécimo. Além disso, todos os meses causa uma apreensão muito grande nos servidores, sem ter certeza que terá dinheiro para quitar os salários até o limite constitucional.

 

“Não faço esquemas com aqueles que querem que a nossa administração seja a administração passada. Podem reclamar a vontade, podem dizer que eu não converso, podem dizer que sou cara feia. Agora, nós estamos transformando Mato Grosso,” garantiu.

 

Toma lá, dá cá 

 

O principal oposicionista na Assembleia Legislativa (AL), deputado estadual Zeca Viana (PDT), lembrou casos de corrupção no governo Taques, como o esquema na Secretaria de Estado de Educação, no qual empresas formavam um 'lobby' para ganhar os certames e estabelecer preços das obras, além de destinar uma parte para propina. O ex-secretário Permínio Pinto foi preso na Operação Rêmora. O ex-secretário passou seis meses detido. 

 

"É claro. Ele vai dizer que não teve [corrupção]. Para ele, o esquema da Seduc não é corrupção, a grampolândia não é corrupção. Eu não sei o que é corrupção para esse homem. Eu fico em dúvida", afirmou Viana, em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta segunda-feira (3). 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto