Segunda-Feira, 11 de Setembro de 2017, 16h:49

Tamanho do texto A - A+

Filho de Silval recebeu R$ 350 mil em propina paga por locadora de carros

Por: JESSICA BACHEGA

O delator Rodrigo Barbosa, filho de Silval Barbosa (PMBD), contou ao Ministério Público Federal (MPF) que recebeu cerca de R$ 350 mil em propina, paga pela empresa Quality Veículos. O valor era arrecadado pelo então secretário de Administração, Pedro Elias, e repassado, em dinheiro, ao delator.

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

SAD/Pedro Elias Domingos/concurso/policia

 Ex-secretário de Administração, Pedro Elias, recolhia a propina

Segundo relato de Rodrigo Barbosa, após a nomeação de Pedro Elias para secretário de Administração, ele passou a ter muito contato com empresários, já havia cobrado o retorno da Sal Locadora e também passou a cobrar 10% da Quality. Ambas participaram de licitação para contrato de locação de veículo junto ao Estado e venceram o certame que compreendida diversos lotes.

 

No documento, consta que Pedro Elias contou a Rodrigo que os empresários da Quality estavam insatisfeitos com os constantes atrasos no repasse do governo pela prestação de serviços, do qual 10% do valor era revertido para a dupla. 

 

Que naquele ano, dois representantes da Quality procuraram Rodrigo Barbosa, relatando os atrasos e este prometeu que iria resolver a situação. Apesar de ter prometido tratar a situação com  o governador, o delator delegou a tarefa para Pedro Elias e não sabe informar qual foi a tratativa entre eles.

 

“Que o Declarante acredita que os pagamentos efetuados pela empresa Qualilty Veículos ocorreram por um ano e Pedro Elias levava sempre em espécie até a residência do declarante”, consta da delação. “o declarante e Pedro Elias rateavam em proporções de 40-60% a 30-70%, sendo que o percentual maior da divisão ficava com Rodrigo”.

 

O filho de Silval conta que os valores recebidos de forma ilícita foram empregados no pagamento de despesas pessoais. Diz ainda que recebeu em torno de R$ 350 mil, podendo haver alguma variação, pois não havia regularidade nos pagamentos.

 

Rodrigo Barbosa diz que não sabe como Pedro Elias aplicava o dinheiro, mas afirma que ele mantinha um padrão de vida muito acima do que seu salário real poderia pagar.

 

“Que o Declarante não se recorda de aquisições de bens de alto valor por Pedro Elias, mas que quando aparecia com algum artigo de luxo, pedro Elias dizia que era do tio Murilo Domingos”, afirma a delação.

 

Leia também

Rodrigo Barbosa e Pedro Elias dividiam propina paga por locadora de veículos

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto