Quinta-Feira, 12 de Julho de 2018, 14h:53

Tamanho do texto A - A+

Fagundes tem fé na permanência do MDB em aliança

Por: DANNA BELLE

“A minha posição sempre foi de lealdade, mas também de respeito às posições. Tenho o MDB como um partido grande, um partido de companheiros, que já estivemos em várias eleições juntos. Tenho fé, tenho certeza, tenho esperança que estaremos juntos”, respondeu o senador e pré-candidato a Governo de Estado, Wellington Fagundes (PR), rebatendo boatos de que o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) poderia deixar a aliança política.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ezequiel fonseca/wellington fagundes

Wellignton Fagundes ao lado do presidente do PP de Mato Grosso, Ezequiel Fonseca

Outra conversa de bastidores é o esvaziamento do palanque de Fagundes, uma vez que o Partido Progressista  (PP) pode ter mudado de ideia e desistido de apoiar o projeto do republicano para compor com o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM).

 

“Eu não acredito que está sendo esvaziado, muito pelo contrário. Nós estamos recebendo vários partidos que estão nos procurando para conversar. Há pouco, eu acabei de me reunir com o PP, o presidente Ezequiel Fonseca, e também com o PTB. Nós estamos com intensas conversações”, justificou durante entrevista à Rádio Capital 101,9 FM.

 

O senador não descarta a possibilidade de acontecer alguma migração de sigla na composição das chapas e reforça acreditar na aliança que está sendo construída para sua candidatura.

 

“Eu creio que essas conversas se afunilem quando se aproxima a convenção. Acaba podendo haver migração, mas o que quero colocar de forma muito clara é que nós confiamos em uma aliança que queira construir para ganhar as eleições, mas, acima de tudo, para fazer um bom governo. Eu tenho procurado manter a mesma linha, principalmente de respeito aos adversários e é nesse sentido que nós iremos atuar até o dia das convenções. Nós iremos respeitar as posições pessoais e partidárias, isso é natural”, comentou.

 

Fagundes afirma não ter motivos para se queixar de traição e deslealdade dos outros partidos, pois o diálogo está sendo mantido de forma aberta e sincera, até mesmo com PSD, presidido pelo ex-vice-governador Carlos Fávaro, que busca com inquietação uma aliança com vaga para disputar o Senado.

 

“Não tenho que reclamar de ninguém na questão de lealdade. Nós temos conversando de uma forma franca, inclusive com o PSD. Você conhece a posição do Neurilan Fraga, presidente da AMM, ele que sempre defendeu, inclusive, a posição da nossa aliança, mas também tem as divergências dos deputados estaduais que hoje ainda dão sustentação e apoiam ao atual governo. Há também o presidente do partido, Carlos Fávaro, que vinha buscando um posicionamento desde o ano passado, ele nos procurou tivemos muitas reuniões, mas continuamos abertos”, finalizou.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto