Sexta-Feira, 14 de Abril de 2017, 14h:49

Tamanho do texto A - A+

Ex-diretor da Odebrecht detalha como repassava propina a Maggi por Éder

Por: GLAUCIA COLOGNESI

O ex-diretor da construtora Odebrecht, João Antônio Pacífico Ferreira, detalhou em vídeo, feito no momento da sua delação premiada, como a empreiteira repassou para o ex-secretário de Estado, Éder Moraes, a propina de R$ 12 milhões para o caixa 2 da campanha de Blairo Borges Maggi (PP) em 2006.

 

Na época, o ministro da Agricultura disputava a reeleição ao Governo de Mato Grosso e Odebrecht buscava receber uma dívida antiga, de contrato assinado em 1986, que o Estado tinha com a empresa pela execução de obras de estradas. Segundo Pacífico, não havia perspectiva de recebimento desses créditos a um curto e médio prazo. Para não levar calote, a empresa aceitou pagar a propina exigida por Éder, que era considerada extremamente alta e correspondia a 35% da dívida que a empresa pretendia receber.

 

As tratativas da propina foram feitas pelo engenheiro da Odebrecht, Pedro Leão, sob a subordinação de João Pacífico, com o ex-secretário da Casa Civil do Governo Maggi, Éder Moraes. O ex-diretor do DNIT e ex-secretário de Infraestrutura Luiz Antônio Pagot também participou da negociação da dívida do Estado com a Odebrecht, mas segundo o delator Pacífico, Pagot pode não ter tido conhecimento da cobrança da propina.

 

Maggi e Éder negaram veementemente, por meio de nota, que tenham tido qualquer contato com os executivos da empresa citada e que tenham recebido e mediado, respectivamente, a doação ilegal.

 

Confira o vídeo com trecho da delação de Pacífico:

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto