Quinta-Feira, 31 de Agosto de 2017, 17h:25

Tamanho do texto A - A+

Emanuel ignora requerimento e não comparece à Câmara para dar explicações

Por: FELIPE LEONEL

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) ignorou o requerimento aprovado pela Câmara de Vereadores, para que ele comparecesse na Casa de Leis e prestasse esclarecimentos aos vereadores sobre o vídeo em que ele aparece recebendo dinheiro de propina paga pelo ex-governador Silval Barbosa.  O pedido foi apresentado pelo vereador Gilberto Figueiredo (PSB), na sessão ordinária de terça-feira (29), para que Emanuel fosse nesta quinta (31), na Câmara. 
 
 

Alan Cosme/HiperNoticias

Gilberto figueiredo

 

"O requerimento citou que o convite era para hoje, nesta quinta-feira. Porém, sem prejuízos que esta casa o faça em data oportuna, para que a gente crie mais uma vez, a oportunidade para que o prefeito possa nos dar explicações em relação aos vídeos que foram veiculados na imprensa nacional", disse Figueiredo, na tribuna da Câmara, na sessão desta quinta. 

 

 

O prefeito está "sumido" desde que o Jornal Nacional veiculou o vídeo, no qual Emanuel aparece enchendo os bolsos do paletó com dinheiro de "mensalinho", para apoiar o ex-governador Silval Barbosa (PMDB). Desde então, o gestor da capital não apareceu em público em eventos da prefeitura. Sua última ação, foi a publicação de uma nota de esclarecimento publicada no seu perfil oficial no Facebook, na última sexta-feira (25). 

 

 

O vídeo foi entregue à Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo ex-chefe de gabinete de Silval, Sílvio Cezar Correa, que também firmou delação premiada com a Justiça. O documento foi homologado pelo relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux. 

 

 

Na avaliação do próprio relator, a delação é "monstruosa", pela quantidade de pessoas envolvidas e as provas anexadas no acordo. Além de Silval e Silvio, também firmaram delação premiada a esposa e irmão de Silval, Roseli Barbosa e Antonio Barbosa, além do filho do ex-governador, Rodrigo Barbosa. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto