Domingo, 19 de Novembro de 2017, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Deputado Nilson Leitão pode ser líder do PSDB na Câmara Federal em 2018

Por: FELIPE LEONEL

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB), atual presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) na Câmara dos Deputados, está cotado para ser o líder do PSDB na Câmara, em 2018. O nome do parlamentar é colocado pelos colegas como uma forma de "convergir" as diferentes linhas do partido em um único candidato a líder. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

nilson leitao

 Deputado federal Nilson Leitão

"Hoje tem quatro pré-candidatos colocados. Meu nome foi escolhido por um grupo que converge essa divisão, gente dos dois lados", afirmou o parlamentar tucano. "Hoje tem o deputado Rogério Marinho (RN), Eduardo Barbosa de Minas Gerais, Betinho de Pernambuco e foi colocado o meu nome também por alguns companheiros dos dois lados", acrescentou. 

 

O mato-grossense deve ser líder em um momento de crise política, onde iria conduzir 46 deputados, em ano eleitoral e com candidato próprio à Presidência da República. Somado a isso, o deputado federal também pretende se lançar candidato ao Senado Federa no ano que vem. Leitão comanda uma frente com mais de 240 deputados. 

 

Ele negou que se tornar líder facilite a sua candidatura ao Senado. "Uma coisa não se vincula muito a outra. Dá mais trabalho para a gente. Ser líder de 46 deputados nesse momento, a carga de trabalho triplica. Mas cada trabalho que a gente faz sempre ajuda, trabalhar sempre ajuda a ganhar as eleições", destacou o parlamentar.

 

Ainda segundo o tucano, o período de presidente da FPA, quando enfrentou temas polêmicos como a questão da “regularização do trabalho no campo”, não trouxe desgaste à sua imagem. Segundo ele, a população gosta dos políticos que possuem lado e deixam isso claro. Ele deve deixar a FPA no mês de março, mas caso vença a eleição para ser líder, sairá antes.

 

"A minha posição sempre foi muito clara em tudo, isso acaba agradando o meu público. Não tenho a pretensão de agradar 100% como político, isso é impossível, nem Jesus Cristo conseguiu. Eu defendo aquilo que acredito. Tudo que defendi soma muito com a caraterística e peculiaridades de MT. Eu defendo a produtividade, o emprego e o trabalho", finalizou. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto