Quinta-Feira, 14 de Junho de 2018, 14h:11

Tamanho do texto A - A+

Demissão de indicados do PV ocorreu por racha no partido, crê Paulo Borges

Por: MICHELY FIGUEIREDO

A demissão de 30 servidores comissionados, indicados para os cargos no Governo do Estado pelo Partido Verde, teria ocorrido depois que houve um racha e parte da legenda deixou de apoiar o governador Pedro Taques (PSDB). A análise foi feita pelo presidente estadual do PSDB, Paulo Borges, em entrevista ao Hipernotícias.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

paulo borges

 Paulo Borges, presidente do PSDB

"As exonerações de funcionários indicados pelo PV, tudo faz parte do contexto de estarem ou não com o Governo", disse Borges, ao defender que este é o seu entendimento.


Segundo o dirigente partidário, parte dos integrantes do partido é favorável a uma aliança que defenda a reeleição de Pedro Taques, mas existe também uma ala dentro da agremiação que defebde o rompimento. Aloízio Leite encabeçaria a ala pró-governo.


As exonerações ocorreram no decorrer da última semana e o deputado estadual Oscar Bezerra, recém-filiado ao partido, confirmou que houve um desentendimento entre a cúpula partidária e o governador, no entanto não entrou em detalhes. O parlamentar trabalha na tentativa de apaziguar os ânimos e garantir o PV na base do tucano, uma vez que o partido é um aliado histórico de Taques, caminhando lado a lado desde 2010, conforme ponderou Bezerra.


O Partido Verde esteve reunido, ainda no mês de maio, com o pré-candidato ao Governo, Wellington Fagundes (PR). Diálogo também foi travado com o presidente do PSD, Carlos Fávaro e com o próprio governador Pedro Taques, com vistas ao processo eleitoral de 2018.  

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei