Quinta-Feira, 28 de Setembro de 2017, 09h:42

Tamanho do texto A - A+

Delegado destaca autonomia da Polícia Civil em ação inédita contra secretários de Estado

Por: FELIPE LEONEL

O delegado Flávio Stringueta, que  participou da Operação Esdras, deflagrada nessa quarta-feira (27), destacou a autonomia da Polícia Judiciária Civil (PJC) em ação "inédita", que prendeu dois secretários de Estado, além de dois secretários afastados. A PJC também cumpriu 15 mandados de busca e apreensão na investigação que apura o envolvimento de suspeitos no caso dos grampos telefônicos ilegais.
 
 

Alan Cosme/HiperNoticias

delegado flavio stringueta

Delegado Flávio Henrique Stringueta

"O ineditismo a que me refiro ocorre porque nunca aqui no MT foi dada à Policia Civil a autonomia necessária para agir. Isso também ocorre nos demais estados", afirmou Stringueta. "Voltando ao assunto das prisões, denominada Operação Esdras, foi a primeira vez em MT que a Polícia Judiciária Civil efetuou prisões e buscas em desfavor de Secretários de Estado em exercício", destacou. 
 
 
Stringueta participou do cumprimento de mandados de busca e apreensão contra o secretário Rogers Jarbas, na semana passada. Na oportunidade, o delegado encaminhou Jarbas até Fórum de Cuiabá para colocar tornozeleira eletrônica e quando saia do local foi foi vaiado pelos colegas. Cerca de 40 policiais, dentre investigadores e delegados, acompanharam o secretário até o Fórum. 
 
 
Na operação Esdras, segundo Stringueta, alguns delegados se recusaram em cumprir mandados contra secretários de estado e o alto escalão da Polícia Militar de Mato Grosso. "Digo aos senhores que vocês perderam uma excelente chance de entrarem para a história de MT, perderam o bonde, falando de forma mais chula, mas não me atreverei a guardar nenhum sentimento negativo quanto a isso, somente decepção", disse. 
 
 
A ação foi reconhecida também pelo Sindicato dos Delegados de Polícia de São Paulo, que homenageou a delegada Ana Cristina Feldner, responsável pelas investigações. Stringueta disse ainda que não espera o mesmo posicionamento do Sindicato dos Delegados de Polícia de Mato Grosso, que tem "decepcionado" nas manifestações.
 
 
"Essa nota deve ser estendida a todos os policiais que nos auxiliaram de alguma forma na ação, todos eles sabendo que podem sim sofrer algum tipo de retaliação, não por parte da diretoria, mas daqueles que ainda tratam as instituições, especialmente a Polícia Judiciária Civil de MT, como instituição de governo", finalizou Flávio Henrique Stringueta.
Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto