Segunda-Feira, 09 de Outubro de 2017, 09h:14

Tamanho do texto A - A+

Coronel Lesco e esposa pedem para serem reinterrogados sobre caso dos grampos

Por: PABLO RODRIGO

O ex-chefe da Casa Militar de Mato Grosso, coronel Evandro Lesco e sua esposa, a personal treiner Helen Christy Lesco, pediram para serem reinterrogados pelos delegados Ana Cristina Feldner e Flávio Stringueta. Os novos depoimentos deverão ocorrer nesta terça-feira (10) no Complexo Miranda Reis, bairro Bandeirantes.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

coronel lesco

 O coronel Evandro Lesco sendo levado para prestar depoimento à delegada Ana Cristina Feldner

Os novos depoimentos criam a expectativa de que ambos poderão elucidar as investigações referentes às interceptações telefônicas clandestina coordenadas pela alta cúpula da Polícia Militar de Mato Grosso e a tentativa de obstrução da Justiça ao tentar gravar o desembargador Orlando Perri.

 

Na semana passada, Lesco e Helen permaneceram em silêncio perante os delegados. 

 

Evandro Lesco  é acusado de financiar o esquema de grampos ilegais e comprar o sistema sentinela usado para escutas os alvos do grupo composto por militares e servidores do alto escalão do governo.

 

Já Helen Christy Lesco,  é acusada de integrar a organização criminosa e  de estar agindo em prol do grupo para prejudicar as investigações policiais. 

 

Além de Lesco e Helen, foram presos, por determinação do desembargador Orlando Perri, os ex-secretários de Segurança Pública, Rogers Jarbas, de Justiça e Direitos Humanos, coronel Airton Siqueira, do ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, o sargento João Ricardo Soler e o major Michel Ferronato. 

 

O empresário José Marilson da Silva, ex-sócio da empresa Simples IP Internet, também estava preso desde o último dia 27 de setembro, por conta da Operação "Esdras", da Policia Civil. Porém, foi solto na semana passada após colaborar com as investigações. 

 

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto