Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2017, 17h:45

Tamanho do texto A - A+

Carlos Fávaro deixa a Sema e diz que não era "raposa cuidando do galinheiro"

Por: FELIPE LEONEL

O secretário de Meio Ambiente de Mato Grosso, Carlos Fávaro (PSD), concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (18) para fazer um balanço dos 20 meses à frente da secretaria. De acordo com o então secretário e vice-governador do Estado, os resultados do trabalho comandado por ele calaram as críticas de que ele seria a "raposa cuidando do galinheiro". 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

carlos favaro

 

Carlos Fávaro, que também é produtor rural, recebeu críticas quando assumiu a gestão da pasta, pois como empresário ele não teria imparcialidade para comandar a secretaria de maneira eficiente. "Eu recebi isso como desafio, mostrar que a política ambiental é extremamente importante para o desenvolvimento do Estado e os números são incontestáveis", disse o vice-governador.

 

“Eu recebi essa pecha quando assumi a Secretária de Meio Ambiente. Eu iria ser a raposa cuidando do galinheiro e os números mostram que nós fomos muito mais eficientes no combate ao crime ambiental. Não tem agro, não tem empresário que possa tirar o maior ativo de Mato Grosso que é o nosso meio ambiente”, cravou o secretário. 

 

Dentre os números ressaltados pelo gestor está a redução do desmatamento ilegal em 36% nos últimos dois anos, o que propiciou a vinda de cerca de R$ 170 milhões de reais dos governos da Alemanha e Reino Unido. Além disso, a Secretaria de Meio Ambiente aplicou mais de 5 mil multas e arrecadou mais de R$ 10 milhões em autos de infração.

 

Ainda de acordo com ele, a secretaria economizou 23% em copos descartáveis, 32% em aquisição de café e quase 4% em energia elétrica. Ademais, foi registrada uma economia de 9,3% em impressão de materiais gráficos e 25% de economia com a mudança no sistema de controle de ponto. "Quando o dinheiro é pouco, a eficiência precisa ser total", arrematou Carlos Fávaro.  

 

Outra grande realização destacada pelo gestor está a redução do tempo gasto pela secretaria de Meio Ambiente para conceder licenças ambientais de 272 dias para 146 dias. Ainda de acordo com Carlos Fávaro, a Secretaria de Meio Ambiente será "menos atrapalhadora" do desenvolvimento de Mato Grosso a partir de agora.  O secretário-executivo da pasta, André Torres Baby, comandará a secretaria interinamente. 

 

"Já aconteceu algumas vezes quando precisei assumir o governo, a gente vai nomear um da equipe, a nossa equipe está muito apta a dar sequência no trabalho”, disse o secretário. “Hoje eu vou emitir uma portaria designando o André Baby para que fique como secretário interino até que o governador decida definitivamente quem será o secretário”, finalizou Fávaro. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto