Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 17h:20

Tamanho do texto A - A+

Câmara instaura CPI do Paletó; Procuradoria diz que vereadores da base podem compor Comissão

Por: FELIPE LEONEL

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o episódio em que o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), aparece enchendo os bolsos do paletó com maços de dinheiro foi instaurada na Câmara de Vereadores de Cuiabá, na manhã desta terça-feira (14). A Procuradoria Legislativa da Casa emitiu parecer pela validade das assinaturas registradas após a protocolização do requerimento.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

plenário da camara de cuiaba

 

Assinaram o requerimento o vereador Marcelo Bussiki (PSB); Abilio Brunini (PSC), Sargento Joelson (PSC), Gilberto Figueiredo (PSB), Dilemário Alencar (Pros), Felipe Wellaton (PV), Diego Guimarães (PP), Sargento Elizeu (PSDC) e Toninho de Souza (PSD), que foi a nona assinatura.

 

Após isso, houve a adesão, no mesmo dia, de outros nove vereadores da base do prefeito. Os signatários posteriores a protocolização do documento são: Paulo Araújo (PP); Chico 2000 (PR); Adevair Cabral (PSDB); Misael Galvão (PSB); Luis Claudio (PP); Marcrean Santos (PRTB); Juca do Guaraná (PT do B) e Orivaldo da Farmácia (PRP). 

 

O requerimento foi lido no plenário da Câmara pelo primeiro secretário, Dilemário Alencar (Pros). A Mesa Diretora agora tem 48 horas para decidir, junto ao Colégio de Líderes, sobre a composição da Comissão de Investigação. "Os demais poderiam nem sequer ter conhecimento de que a Comissão está sendo instaurada. Eles têm o direito de publicidade para pode aderir ou não a essa CPI. E essa publicidade ela há de ser formal", explicou o procurador da Câmara, o advogado Lenine Povóas.

 

Segundo entendimento do procurador, ao negar a participação dos parlamentares que assinaram posteriormente o requerimento, a Câmara estaria suprimindo a representatividade popular dos vereadores na Comissão. Já os integrantes da oposição defendem a participação na investigação apenas dos signatários do requerimento protocolizado no dia sete deste mês,  às 13h50.


O assunto gerou embate entre os governistas e oposicionistas na sessão ordinária desta terça. Os vereadores da base pediram várias vezes a palavra para reafirmarem a adesão ao requerimento, enquanto a oposição reclama de uma manobra dos demais parlamentares para "melar" a CPI do Paletó.

 

"Dessa forma a CPI perde a credibilidade. Foi muito difícil conseguir as nove assinaturas, mas depois de assinarmos e fazermos o protocolo, todos agora querem investigar o prefeito. Aí eu pergunto para a população: Não seria uma manobra?", questiona o oposicionosta Felipe Wellaton (PV).


Já o vereador Renivaldo Nascimento (PSDB), vice-presidente da Câmara, defendeu o direito dos demais vereadores participarem da comissão. Ele ainda afirmou que os parlamentares fazem "palanque" e seis vereadores, signatários do requerimento,  são candidatos a deputado estadual.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto