Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017, 16h:34

Tamanho do texto A - A+

Bussiki diz que segue regimento e que vereadores podem estar cometendo crime

Por: FELIPE LEONEL

O vereador Marcelo Bussiki (PSB), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, rebateu o vereador e relator da CPI, Adevair Cabral (PSDB), que pretende anular as oitivas da Comissão. Adevair apresentou um requerimento à Mesa Diretora, nesta terça (12),  para solicitar um parecer da Procuradoria Legislativa sobre a condução de Bussiki frente a Comissão.

 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

marcelo bussiki

 

Na última semana, Bussiki deferiu por convocar o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), o ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, além do ex-secretário de Estado, Alan Zanatta. Por outro lado, o presidente indeferiu o pedido de Adevair para convocar o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB) e o presidente do Sintep de Cuiabá, João Custódio.

 

Segundo Adevair, a decisão deveria ser submetida a apreciação dos membros da Comissão e que Bussiki foi “arbitrário”. De acordo com o entendimento de Marcelo Bussiki, Adevair quer impedir os envolvidos na investigação de prestarem depoimento na CPI, que investiga o vídeo do prefeito Emanuel Pinheiro recebendo maços de dinheiro quando era deputado estadual.

 

"Eu só quero mencionar aos colegas que a Lei 1579/52, no seu artigo 4º, inciso primeiro, cita um termo que é importante falar, já que está sendo discutida essa questão do requerimento do vereador Adevair. Impedir ou tentar impedir, mediante violência, ameaça o regular funcionamento das comissões parlamentares de inquérito, isso é crime”, disse Marcelo.

 

Caso a Procuradoria Legislativa da Câmara emita parecer favorável ao pleito de Adevair, a convocação de 10 pessoas, que prestariam depoimento em fevereiro de 2018, seriam automaticamente canceladas. Dentre os convocados, está o delator Silvio Cezar Correa, Silval Barbosa, Alan Zanatta, um delegado e perito da Polícia Federal, dentre outros.

 

 

Bussiki ainda rechaçou as declarações do vereador Paulo Araújo (PP), de que ele estaria “brincando” no comando das investigações e teria estabelecido um “tribunal de exceção”. “O vereador Marcelo está comprometendo toda legalidade do processo de CPI e, com certeza, não se atentando ao devido processo legal e ao regimento interno. Ela já é nula", disse Araújo.

 

 

“Se alguém está brincando aqui nesse Parlamento, com certeza, não sou eu. Se alguém está caminhando de uma forma, nesse sentido como vereador Paulo [Araújo] falou, com certeza, não sou eu. Toda a população sabe disso”, afirmou o presidente da Comissão, Marcelo Bussiki. 

 

Leia mais:

Para Adevair Cabral, Bussiki age de forma" arbitrária" na condução da CPI do Paletó

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto