Terça-Feira, 14 de Novembro de 2017, 07h:57

Tamanho do texto A - A+

Base assinou a CPI para ocupar cargos e proteger o prefeito, diz Bussiki

Por: FELIPE LEONEL

O Colégio de Líderes da Câmara de Vereadores de Cuiabá vai se reunir ainda nesta semana para definir os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, para investigar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). A reunião para definir a composição da CPI deve acontecer após a leitura do requerimento no plenário da Casa, nesta terça-feira (13). 

 

emanuel.jpg

 

O requerimento recebeu apoio de 18 parlamentares, sendo boa parte da base do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB). Nos bastidores da Câmara, os vereadores da oposição dizem que o fato de os aliados de Emanuel terem assinado a CPI seria uma estratégia para lotear a Comissão com os vereadores da base. Segundo consta no regimento interno, podem compor somente os signatários do requerimento. 

 

"Foi um movimento da base de proteção ao prefeito. Assinaram o requerimento para compor cargos da CPI, como uma forma de proteção ao prefeito Emanuel Pinheiro. O prefeito não precisa de proteção, precisa de se explicar, isso ele precisa fazer e é o objetivo da CPI", afirmou o requerente e futuro presidente da CPI do Paletó, vereador Marcelo Bussiki (PSB), ao HiperNotícias.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

marcelo bussiki

"O prefeito não precisa de proteção, precisa de se explicar", diz Bussiki

Ainda de acordo com o parlamentar, os vereadores devem se informar junto a Procuradoria Legislativa da Casa para obter um parecer. A dúvida é se os políticos que assinaram o requerimento após ser protocolado podem ser membros.  Assinaram o documento oito vereadores de oposição e a nona do vereador Toninho de Souza (PSD). Após isso, outros nove vereadores, aliados do prefeito, aderiram ao documento. 

 

"O documento já estava protocolado. Eles assinaram depois, então tem essa discussão e deve ser equacionada no Colégio de Líderes. Já estava protocolado o documento, aí os vereadores assinaram depois. É uma situação um pouco esquisita e vai ser debatida", disse Bussiki.

 

Após ser lida em plenário, o presidente da Câmara, Justino Malheiros (PV), terá 48 horas para publicar a instauração da Comissão no Diário Oficial. Os membros, então, vão se reunir para definir um planejamento. Os primeiros a serem convocados é o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e Silvio Cezar Correa, delatores que entregaram o vídeo em que Emanuel aparece pegando propina. 

 

Por fim, a CPI do Paletó deve requisitar informações junto ao Supremo Tribunal Federal e Procuradoria-Geral da República (PGR). "É um passo importante para o esclarecimento dos fatos, a gente quer abrir esse procedimento para dar uma resposta à sociedade. Um prefeito que está sob suspeita, não se explicou ainda, prejudica o município", finalizou o parlamentar. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto