Quarta-Feira, 04 de Julho de 2018, 16h:00

Tamanho do texto A - A+

Assembleia afasta quatro servidores investigados pelo MPE

Por: ANA FLÁVIA CORRÊA

Na última sexta-feira (29), quatro servidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) foram aposentados voluntariamente pela Mesa Diretora. Eles são investigados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por irregularidades em suas efetivações. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

promotor roberto aparecido turin

 Promotor Roberto Turin

Segundo apurou o MPE, os técnicos legislativos Neide Jusceli Pando, Admilton Ângelo da Silva e Marly da Gloria Costa Teixeira Silva, além da secretária do poder legislativo Dayse Martins de Siqueira foram efetivados sem concurso público.

 

Na época, eles foram firmados ao quadro de servidores da AL sob o amparo do artigo 19 da legislação anterior à Constituição de 1988, que prevê a contratação efetiva de servidores com mais de cinco anos de trabalho prestado. 

 

“É totalmente inadmissível a ampliação na interpretação do artigo 19 da ADCT para beneficiar determinados indivíduos com a estabilidade excecional, permitindo-se o uso de tempo de serviço em outros entes públicos para preenchimento do requisito temporal de cinco anos”, diz o promotor de Justiça Roberto Turin, em documento de 2013. 

 

Turin afirma que a admissão de pessoal sem concurso público é nula e solicitou que a Assembleia reveja todos os atos que concederam a estabilização de forma equivocada. Ainda, ele recomenda que processos administrativos sejam instaurados para investigar cada servidor. Além dos quatro citados, o documento cita aproximadamente 60 servidores contratados da mesma maneira. 

 

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 1



7 Comentários

Manoel Messias Alcantara - 05/07/2018

VOCÊS AINDA TEM CORAGEM DE AGRADECER POR ENVIAR COMENTÁRIO SE É QUE NEM O COLOCAM??????????????????? BRINCADEIRA DAMOS CRÉIDTOS Á VOCÊS E NÃO COLOCAM O QUE COMENTAMOS;

Manoel Messias Alcantara - 05/07/2018

VENDO ESTA MATÉRIA HOJE VÍ QUE NÃO PUBLICARAM MEU COMENTÁRIO, NÃO ESTOU DENEGRINDO E NEM AGREDINDO O SENHOR JUIZ APENASMENTE FALEI A VERDADE QUE O ADMILTON ANGELO E A MARLY TEIXEIRA TEM MAIS DE 43 ANOS DE ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA E QUE NA ÉPOCA QUE ENTRARAM NA ASSEMBLÉIA NÃO HAVIA CONCURSO PÚBLICO E QUE AS OUTRAS DUAS FUNCIONÁRIAS CITADAS ESTAS SIM ENTRARAM NOS ANOS 90 DEPOIS DA CONSTITUIÇÃO DE 1988...ISSO É DENEGRIR OU LEVANTAR FALSOS??????????????????????????????????????????????????

Joaquim Cuiabano - 05/07/2018

Vocês ganham para não publicar nossos comentários que são VERDADEIROS? por que não publicaram meu comentário de ontem?

Altamira da Costa Guimarães - 04/07/2018

Cadê meu comentário? Quando se fala a verdade sobre estas corrupções na Assembléia vocês não colocam. Mais é muita injustiça com o Admilton e a Marly agora aquelas outras entraram pelas portas do fundo.

Manoel Messias dos Anjos - 04/07/2018

Bosaipo a esposa, o sogro do Riva e por aí vai aposentaram como Secretários da Assembléia Legislativa e deve ter uns 600 aposentados sem concurso e entraram depois da constituição de 1988 e estão numa boa. Agora o Admilton Agnelo da Silva e a Marly Teixeira teem uns 43 ou 44 anos de Casa. Estas outras duas entraram lá pelos anos 90.

Altamira da Costa Guimarães - 04/07/2018

MEU DEUS SE O ADMILTON E A MARLY NÃO TEM DIREITO À APOSENTADORIA NINGUÉM DA ÉPOCA DELES QUE TEEM MAIS DE 40 ANOS DE SERVICO TERÁ. AGORA A NEIDE E A DAYSE ENTROU NOS ANOS 90 TUDO BEM. NAQUELA ÉPOCA SENHORES JUIZES NÃO EXISTIA CONCURSO PÚBLICO

JOAQUIM CUIABANO Aposentado - 04/07/2018

Não dá pra entender esses Juízes, há época em que o Admilton Angelo e a Marly entraram não havia concurso, estes dois entraram na Assembléia Legislativa há quase 40 anos foram Celitistas. Agora srs. JUIZES e os quase 500 que Riva e Bosaipo efetivaram e apisentaram sem nunca ter trabalhado antes em serviço público? Vão anular a Apisentadoria deles?

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA