Sexta-Feira, 17 de Novembro de 2017, 16h:56

Tamanho do texto A - A+

Vídeo mostra momento em que personal é executado com cinco tiros em Cuiabá

Por: LUIS VINICIUS

Imagens do circuito de segurança de uma residência, obtidas pelo HiperNotícias, mostram o momento em que o personal trainer Danilo de Souza Campos, de 28 anos, é executado com cinco tiros, em uma rua do bairro Jardim Cuiabá. O instrutor seria vítima de um crime de mando que teria motivações passionais. O empresário Guilherme Dias de Miranda, de 34 anos, é acusado de ser o mandante da execução. No vídeo, segundo as investigações da polícia, após o assassinato de Danilo, um Honda Civic passa em seguida seria do capoeirista, Guilherme. 

 

danilo montagem

 

O crime aconteceu na noite do dia 8 de novembro, por volta das 21h15. Nas imagens, é possível ver o momento em que Danilo estaciona o Honda Civic em que dirigia próximo a uma casa do bairro. Ainda com o carro e os faróis ligados, o personal desce do veículo e imediatamente é surpreendido por dois homens em uma motocicleta. Sem parar a moto, o piloto se aproxima e o homem que está na garupa atira cinco vezes. Toda a ação demorou menos de três segundos.

 

Após 13 segundos da execução é possível ver um Honda Civic de cor preta, invadindo a contra mão e passando bem lentamente em frente a cena do crime. O motorista seria o empresário Guilherme. Ele teria acompanhado Danilo desde a saída da academia, onde era instrutor, até o local onde o personal foi executado. A delegada responsável pelas investigações, Alana Cardoso afirmou que mesmo após o crime, Guilherme acompanhou a trajetória dos assassinos que fugiram em direção a Avenida Miguel Sutil.

 

"Levantamos imagens dos motociclistas pelas regiões e conseguimos identificar que o Honda Civil de cor preta deu todo o apoio. Conseguimos identificar esse veículo do mandante e cruzamos o mesmo percurso provável de fuga dos executores. Isso, combinado com outros elementos e depoimentos de testemunhas, nos levou a acreditar que Guilherme seja o mandante do crime. No entanto, não conseguimos identificar os dois indivíduos que estavam na moto e que efetuaram os disparos. Ainda estamos na busca dos executores", explicou a delegada ao HiperNotícias.

 

Pouco tempo após a execução, curiosos se aproximavam para saber o que de fato havia ocorrido no local. Após 10 minutos duas viaturas da Polícia Militar e uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegam ao endereço para prestar os primeiros socorros, mas Danilo já estava morto.  

 

A investigação

 

O homicídio chamou atenção da população cuiabana por ter motivações passionais. Guilherme, que está foragido, é professor de Capoeira e teria contratado dois homens para executar Danilo assim que ele saísse da academia, onde trabalhava no bairro Jardim Cuiabá. O suspeito teria ficado com ciúmes após ficar sabendo de uma suposta relação amorosa entre Danilo e a sua esposa e, por isso, encomendou a morte do personal.

 

Por ser o único suspeito, o professor teve o mandado de prisão temporária (30 dias), decretado pela 12ª Vara Criminal, Cuiabá. A delegada que coordena as investigações, Alana Cardoso, foi até a casa do professor, localizada no Condomínio Rubi, na Rodovia Mario Andrezza, em Várzea Grande, mas não consegui localizá-lo. Durante a permanência dos policiais na residência, a esposa de Guilherme se apresentou.

 

Pivô nega

 

A esposa de Guilherme, considerada pivô do assassinato do personal, prestou depoimento duas vezes na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Cuiabá. A delegada Alana, disse que a depoente negou qualquer tipo de relacionamento extraconjugal com Danilo e ressaltou por várias vezes que não teve qualquer envolvimento com o personal.

 

“A esposa do Guilherme já foi ouvida duas vezes na delegacia e ele nega que tenha tido qualquer envolvimento extraconjugal com a vítima. Porém, ela confere que o conhecia da academia e que ele era instrutor da academia onde ela malhava. Mas, é importante frisar que a moça nega então nós só temos alguma referência de alguns amigos da vítima que souberam por ele, Danilo, que ele tinha algum envolvimento amoroso com ela. Então, sem uma investigação mais profunda, a gente não consegue precisar a profundidade do relacionamento e o tempo, nós precisamos de prova pericial para isso”, disse a delegada à reportagem.

 

">

Avalie esta matéria: Gostei +9 | Não gostei - 8

Leia mais sobre este assunto