Segunda-Feira, 12 de Fevereiro de 2018, 08h:00

Tamanho do texto A - A+

Secretaria de Segurança criará núcleos de atendimento à mulheres vítimas de agressão doméstica

Por: LUIS VINICIUS

A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) deverá criar núcleos de atendimentos às mulheres que sofrem violência domésticas nas delegacias dos 141 municípios de Mato Grosso. O novo departamento será instalado em unidades policiais que não têm atendimento a este tipo de vítima, que é o caso da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá (DEDM).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

coronel assis

 

De acordo com o secretário adjunto de Segurança Pública, Josenildo Assis, essa estrutura ainda não foi possível devido a falta de efetivo nas forças policiais. No entanto, os núcleos deverão ser inaugurados em breve. O departamento servirá para que as vítimas de violência doméstica possam denunciar o agressor e fazer com que os casos de feminicídio diminuam em Mato Grosso.

 

“Onde não existe as delegacias especializadas de atendimento à mulher, vão passar a existir os núcleos dentro das delegacias regionais e municipais. Nós não temos um efetivo capaz de atender todo o Estado, mas essas medidas já estão sendo tomadas. Existe esse estudo realizado pela Câmara temática. Já se tem bastante ações a serem tomadas neste e com certeza, neste ano nós vamos conseguir controlar os crimes de feminicídio no Estado”, disse o coronel à reportagem.

 

Em 2018, dez mulheres foram assassinadas nos primeiros 39 dias em Mato Grosso. As vítimas são adolescentes, jovens e mulheres, entre 15 e 45 anos. De acordo com levantamento da Sesp, pelo menos sete mulheres, entre 18 a 59 anos, foram vítimas de homicídio no mês de janeiro. Em fevereiro, outros três casos já foram registrados.

 

Os assassinatos ocorreram em Cuiabá, Várzea Grande, (região metropolitana de Cuiabá), Rondonópolis (a 218 km da capital), Cáceres (a 220 km de Cuiabá), Lucas do Rio Verde (a 360 km de Cuiabá), Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá, Nova Ubiratã (a 506 km de Cuiabá) e Juara, a 690 km de Cuiabá. Na maioria dos casos, a autoria do crime é atribuída a namorados, ex-namorados, maridos e ex-maridos das vítimas.

 

“Desde o ano passado, a Secretaria de Segurança Pública, está tomando algumas providências, no sentindo de fortalecer um combate especializado a esse tipo de crime. Nós criamos uma Câmara Temática, onde existem representantes de vários órgãos que visam justamente a atuação contra esse tipo de crime”, explicou o secretário adjunto de Segurança Pública.  

 

Dos 10 casos de feminicídio no estado, apenas um houve prisão. O coronel afirma que a Polícia Civil está empenhada em encontrar os suspeitos.

 

“A Polícia Judiciária Civil está empenhada diuturnamente em tentar buscar a resolução de todos esses crimes. Diga-se, quase todos esses crimes foram com autoria e resolução já do ano passado para esse ano”, concluiu o delegado.

 

Uma reunião extraordinária está prevista para ocorrer no dia 20 de fevereiro com o secretário de Segurança Pública, Gustavo Garcia, devido os casos de feminicídios.

 

A reunião deve contar com representantes de diversas instituições, como Núcleo de Defesa da Mulher da Defensoria Pública, Conselho Estadual de Defesa da Mulher (CEDM), Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), entre outros.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto