Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 11h:30

Tamanho do texto A - A+

Preso que seria resgatado na UPA é transferido à PCE e nega saber de plano de fuga

Por: MAX AGUIAR

Na ação frustrada de tentativa de resgate de um preso, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro, em Cuiabá, os criminosos chegaram a pegar uma mulher como refém e a manteve como escudo durante a troca de tiros frenética, que deixou cinco pessoas feridas, entre elas um bebê de seis meses, que está na UTI do Pronto Socorro. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

upa morado do ouro/tiroteio/tentativa de resgate

Crime na UPA da Morada do Ouro ocorreu por volta das 17h de terça-feira

Foram disparados pelo menos 14 tiros dentro da UPA. Segundo o delegado Marcelo Jardim, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), três homens estavam armados na recepção da unidade e pelo menos outros quatro aguardavam do lado do fora, para dar apoio na fuga com carros. 

 

"A princípio, três indivíduos teriam adentrado na recepção da UPA, armados com pistolas 9mm e 380. Fizeram uma mulher de refém como escudo. Os agepens (agentes penitenciários), percebendo a ação, buscaram ir para o interior da unidade de saúde com o preso. Um agente foi alvejado e caiu no chão, momento em que fez dois disparos para o alto, para não atingir nenhum dos civis que estavam no local. Os meliantes então emprenderam fuga efetuando vários disaparos. Foram recolhidos 14 projéteis no local", disse o delegado. 

 

Preso nega resgate

Após a tentativa frustrada de resgate do preso José Edmilson Bezerra Filho, 31 anos, enquanto ele buscava atendimento médico na UPA da Morada do Ouro, o delegado Marcelo Jardim colocou a equipe de investigação em busca de detalhes do crime. Com isso, o detento logo foi ouvido e negou que tenha conhecimento de algum tipo de resgate, o que reforça a hipótese de que o crime possa ser algum tipo de acerto de contas. 

 

"Ele nega a informação do resgate. Por isso, estamos trabalhando com a hipótese dos dois casos: resgate e acerto de contas. Preliminarmente, ele confirmou que não sabia de resgate nenhum", disse o delegado. 

 

José Bezerra estava na sala de triagem quando três homens entraram atirando. "Não podemos descartar o resgate. Os marginais atiraram no agente e tiveram chance de atirar no preso, porém não atiraram. Se realmente era um acerto de contas, fica meio estranho não terem nem tentado atirar nele quando tiveram chance", contou Marcelo Jardim

 

Preso transferido

 

Rapidamente, após a confirmação do crime na unidade de saúde, a equipe de reportagem do HiperNotícias conseguiu a ficha criminal completa do preso, que seria o pivô do tiroteio na UPA. José Bezerra Filho é considerado de altíssima periculosidade e responde por diversos crimes. 

 

O detento cumpre pena por ter cometido oito homicídios e três tentativas de homicídios. Ele também é condenado por tráfico de drogas e responde por sequestro e associação para o tráfico de drogas. 

Ele é de Rondonópolis e veio transferido, em 2017, para a Penitenciária Central do Estado a (PCE). Por bom comportamento, em agosto ele foi transferido para o Carumbé. 

Porém, ainda na noite de terça-feira (13), José Edmilson foi novamente recambiado à PCE, onde está em setor isolado, aguardando para ser ouvido novamente pela DHPP. 


Suspeito de resgate preso

PMMT

pistola glock

Polícia prendeu um suspeito que pode estar envolvido no resgate

Por conta da tentativa de resgate do preso, a Secretaria de Segurança Pública determinou uma força tarefa para investigar e tentar prender os envolvidos no crime. 

Durante a noite, em uma ação no bairro Jardim Vitória, um rapaz foi preso em flagrante por roubo a residência. Ele é suspeito de participar do crime, porém estava com uma arma Glock calibre ponto 40, diferente dos projéteis encontrados no chão da UPA. 

Por conta da suspeita, ele foi levado para reconhecimento e as vítimas disseram que ele não foi visto dentro da unidade. Mas o delegado Marcelo Jardim não descarta que ele possa estar entre os que aguardavam o bando do lado de fora do hospital. 

 

"Como ele estava armado com uma pistola e é de Rondonópolis, mesma cidade do preso que seria resgatado, foi cogitado que pudesse ter tido participação no evento da UPA. Ainda de madrugada diligenciamos junto as vítimas que não reconheceram o suspeito. Além disso, ele estava com uma pistola glock ponto 40, calibre diferente das usadas no crime. Mas, mesmo assim, não descartamos a possibilidade dele ter sido um dos que ficaram do lado de fora durante a ação criminosa. Vamos continuar investigando", relatou o delegado.



A ação e os feridos



A tentativa de resgaste aconteceu por volta das 17h30 de terça-feira (13). Na ação, os bandidos fortemente armados invadiram a unidade de saúde atirando e atingiram cinco pessoas, incluindo um bebê de seis meses.

Alan Cosme/HiperNoticias

upa morado do ouro/tiroteio/tentativa de resgate

 

De acordo com o presidente do Sindspen, João Batista, a enfermeira se chama Rosemeire e levou um tiro na perna. Ela está internada no Pronto Socorro de Cuiabá e passa bem. A enfermeira está acompanhada do esposo, que também é policial.

Vale ressaltar que o preso só foi atendido fora da unidade prisional, porque em dias de feriado e fim de semana, os presídios não oferecem nenhum tipo de profissional médico para atender os detentos. Por isso, José Edmilson Bezerra Filho, 31 anos, foi levado para atendimento na UPA da Morada do Ouro. 


Veja os nomes dos feridos na tentativa de resgate de um preso na Unidade de Pronto Atendimento da Morada do Ouro. Por bem, mortes não foram confirmadas. 

- D.P.P. (Agente Prisional) 2 perfurações na perna.

 

- Vitor Hugo Camargo Martins, 6 meses. - 1 perfuração no peito e 1 na mão.

 

- ‎Estefani de Camargo Santos, 22 anos. - 1 perfuração no braço esquerdo (mãe da criança).

 

- ‎Dayana da Silva Romao. - Estável. Disparo no tórax. - não sabe quantas perfurações.

 

- ‎Rosimere Sousa da Silva, 51 anos. - 1 disparo na perna.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto