Quarta-Feira, 30 de Maio de 2018, 09h:15

Tamanho do texto A - A+

Polícia prende pastor que estuprou criança durante culto em igreja

Por: DA REDAÇÃO

Um pastor evangélico de 61 anos foi preso por estupro de vulnerável pela Polícia Judiciária Civil de Primavera do Leste (231 km ao Sul de Cuiabá) na tarde de terça-feira (29).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

policia civil/a noite

 

As investigações apontaram que J.S.F, 61, teria abusado sexualmente de uma menina de 03 anos de idade, em novembro de 2017.

 

Na época dos fatos, a menina participava de culto dentro da igreja (em um momento de oração) quando se aproximou do pastor enquanto brincava no local. Neste momento, o suspeito teria agredido sexualmente a menor por meio de toque íntimo em sua genitália (fato comprovado em exame médico que apontou resquícios de violência sexual). Ele teria ainda empurrado a criança após o ato.

 

Alguns fiéis da comunidade evangélica teriam tentado convencer familiares para que não denunciassem o fato. A mãe relatou ter ficado confusa, sem saber o que fazer e levado a menina à UPA após a criança reclamar de dores em sua genitália. Na consulta clínica houve a constatação da violência sexual e acionamento do Conselho Tutelar, que encaminhou a denúncia à Polícia Civil.

 

O inquérito policial será concluso nos próximos dias, mas já foram reunidos elementos probatórios suficientes que embasaram o pedido de prisão preventiva – feito pela Divisão de Violência Sexual da Delegacia de Homicídios e Delitos Gerais de Primavera do Leste – que foi deferido pelo Judiciário e cumprido pelos policiais civis na terça-feira (29).

 

A menina é acompanhada pelo Conselho Tutelar e passa por acompanhamento psicológico.

 

O suspeito foi encaminhado para unidade prisional, onde permanece a disposição da Justiça.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto




1 Comentários

Miranda Muniz - 31/05/2018

Sinceramente não sei qual o interesse em ocultar o nome de quem comete um crime tão hediondo?? Ao contrário, creio que esse caso deveria ser publicizado, até porque pode haver outras vítimas e aí ficariam encorajadas a denuncia-lo. Se fosse um ladrão de pão ou de um litro de leite o nome e a foto certamente já estaria estampada nos jornais e devidamente filmado e exibido nos programas polícialescos. O mais trágico é saber que determinados "fieis" ainda tentando proteger esse monstro.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA