Domingo, 13 de Maio de 2018, 17h:05

Tamanho do texto A - A+

Passados 23 dias, polícia não localiza criminosos que explodiram muro da Sesp

Por: LUIS VINICIUS

Passados 23 dias, a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) ainda não localizou os criminosos que explodiram o muro da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) e quebraram 14 janelas do prédio público, na madrugada do dia 18 de abril, no Centro Político Administrativo (CPA), em Cuiabá. A principal suspeita é que o ataque tenha sido cometido por membros da organização criminosa Comando Vermelho (CVMT).

 

Alan Cosme/HiperNoticias

muro da sesp/ataque com bomba

 

As investigações estão sendo comandandas pelo delegado titular da GCCO, Diogo Santana. Até o momento, a equipe de combate ao crime organizado, identificou o presidiário Lindomar Rodrigues Madureira como o possível mandante do ataque. Ele está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), antigo Pascoal Ramos, também na Capital. A nova prisão foi realizada após denúncias anônimas chegarem à gerência. 

 

O delegado afirmou também que durante a prisão de Lindomar, investigadores encontraram diversos telefones celulares, além de porções drogas na cela onde ele estava. Lindomar cumpre 40 anos de prisão por condenação nos crimes de tráfico de drogas e roubo.

 

Após a prisão, os aparelhos foram encaminhados à Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) e logo depois foram periciados para confirmar a participação do suspeito no crime. Com os trabalhos de investigação, também será possível identificar os executores do crime. 

 

“Nós estamos trabalhando para tentarmos localizar esses criminosos que participaram da explosão do muro da secretaria. Nós estamos realizando todas as diligências para encontrarmos evidência de onde estão todos os executores do crime. As investigações estão a todo vapor e nos próximos dias pretendemos ter novidades. No entanto, é um trabalho difícil que demanda um pouco de tempo”, explicou o delegado da GCCO, Diogo Santana ao HiperNotícias.

 

O ataque aconteceu por volta de 03h45, quando criminosos ainda não identificados, foram até o portão da secretaria e picharam o muro com a sigla “CVMT”. Em seguida, os bandidos usaram uma bomba para explodir parte do muro da secretaria. Com os estilhaços, 14 janelas do préido foram quebradas, levando pavor aos servidores que trabalhavam no Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp) e em outros departamentos. 

 

Logo após o atentado, policiais do 3º Batalhão foram ao local e encontraram agentes da Polícia Militar e Polícia Civil. No endereço, os militares verificaram que a explosão havia acontecido pelo lado de fora do muro lateral.

 

Dois minutos após o ataque, agentes da secretaria observaram que dois homens em uma moto passaram pela avenida transversal, do Centro Político. No entanto, o policial não conseguiu ver a placa da motocicleta. Eles possivelmente, seriam os responsáveis pelo crime, contudo, a Polícia não conseguiu chegar até os bandidos. 

 

No mesmo dia do crime, o secretário de Segurança Pública (Sesp) Gustavo Garcia, classificou como "grave e sério" o ataque à Sesp. Durante entrevista coletiva, o Executivo afirmou que a resposta será dada e que todos os responsáveis serão identificados.

 

“Eu classifico o caso como um ataque sério e grave, mas nós vamos apurar com todo o rigor todos os fatos que aconteceram nesta madrugada. O nosso modelo de segurança não é fraco. Eu tenho certeza que conseguiremos localizar os envolvidos e dar a punição que eles merecem”, disse Gustavo.

 

Leia mais

 

GCCO instaura inquérito para investigar explosão e pichação no muro da Sesp

Membros do Comando Vermelho explodem muro da secretaria de Segurança Pública

Secretário classifica como sério e grave o ataque na Sesp

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto