Terça-Feira, 17 de Abril de 2018, 17h:48

Tamanho do texto A - A+

Médico diz que dormiu no carro e não viu quando esposa atropelou verdureiro

Por: LUIS VINICIUS

Durante depoimento prestado na tarde desta terça-feira (17), o médico Aritony de Alencar Menezes, de 37 anos, afirmou ao delegado Christian Cabral que não sabia que a sua esposa, a médica Leticia Bortolini, 35, havia ingerido bebida alcoólica, durante um festival pouco antes de atropelar o vendedor de verduras, Francisco Lucio Maia, de 48 anos, na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá.

 

HiperNoticias

deletran/doutora leticia

 Esposo de médica não sabia que ela teria ingerido bebida alcoólica

Durante a oitiva, que durou aproximadamente duas horas, o profissional de saúde alegou que após entrar no carro com a sua esposa, dormiu e não viu o momento do atropelamento. Alencar contou ainda que só ficou sabendo do acidente quando os policiais chegaram em sua residência, localizada no bairro Jardim Itália, em Cuiabá.

 

“Ele foi bastante evasivo no depoimento. Ele confirmou que quem saiu dirigindo foi a sua esposa, isso é importante, mas nós já tínhamos isso. Continuamos trabalhando para que não haja dúvidas sobre disso. Ele negou que presenciou a Leticia fazer o consumo de álcool durante o evento. O médico afirmou que não observou que a sua esposa estava bêbada quando estava dirigindo. Logo depois, ele contou que entrou no carro, dormiu e que só ficou sabendo do atropelamento quando os policiais foram até a sua casa e informaram do acidente”, disse o delegado à reportagem.

 

Cabral informou ainda que caso for comprovado que ele estava realmente dormindo na hora do atropelamento, o médico não responderá judicialmente por omissão de socorro.

 

“Nós estamos trabalhando para apurar se de fato ele estava dormindo, porque isso tem a redução penal. Se ele estava acordado, viu o acidente e também não prestou socorro vai responder por omissão de socorro, principalmente por ser um profissional de saúde, por ter feito juramento para salvar vidas”, explicou Cabral.

 

Christian contou que as investigações apontam que era a médica que estava dirigindo, mas que isso será investigado durante os autos.

 

“Tudo que nós temos de oficial apontam que a Leticia é que estava dirigindo o veículo. A gente abriu a investigação e estamos investigando para que não haja nenhuma dúvida. Mas tudo que nós temos nos autos apontam que era a Leticia que estava no comando do carro, que é de propriedade dela”, concluiu o delegado.

 

Protesto

 

Familiares do verdureiro, realizam na noite de terça-feira (17), um protesto, na praça principal do bairro Coophamil, em Cuiabá. A manifestação acontece como um pedido de Justiça, por contra a decisão do desembargador Orlando Perri do Tribunal de Justiça (TJ-MT) em conceder Habeas Corpus (HC) à médica Letícia.

 

A decisão de Perri revoga a prisão preventiva decretada na tarde deste domingo (15) pela juíza Renata do Carmo Evaristo Parreira, da 9ª Vara Criminal, durante audiência de custódia da profissional de saúde. A magistrada afirmou que a médica tinha "personalidade criminosa", pois atropelou e matou o comerciante, fugiu do local do acidente e não acionou socorro ou autoridades ao local do crime.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto