Sexta-Feira, 15 de Junho de 2018, 11h:40

Tamanho do texto A - A+

Laudo aponta que motociclista morreu por politraumatismo que resultou em choque hemorrágico

Por: LUIS VINICIUS

O laudo de necropsia da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), apontou que a motociclista, Karen Karoline Laviola, de 18 anos, morta ao ser atropelada por ônibus, sofreu politraumatismo (diversas fraturas pelo corpo) resultando em choque hemorrágico. A informação foi confirmada ao HiperNotícias pelo Diretor Metropolitano de Medicina Legal, João Marcos Rondon.

 

Alair Ribeiro / Mídia News

joao rondon.jpg

 Diretor Metropolitano de Medicina Legal, João Marcos Rondon

O acidente ocorreu na manhã do dia 5 de junho, quando a jovem tentou realizar uma ultrapassagem irregular em um ônibus que transportava funcionários de uma empresa. Durante a manobra, Karen bateu na lateral do veículo e caiu, momento em que foi atropelada e morreu no local. O fato aconteceu na Avenida Presidente Artur Bernardes, próximo ao Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

 

Na época, o delegado Cristian Cabral, da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), responsável pela investigação, explicou que a jovem foi imprudente, pois o local em que ela tentou fazer a manobra, era proibido qualquer tipo de ultrapassagem.

 

Além disso, a autoridade policial contou que a jovem havia completado 18 anos recentemente e pilotava uma Honda Pop 100, sem possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

 

“Ela foi vítima da própria imprudência. A motociclista realizou uma ultrapassagem irregular e acabou sendo atropelada. Durante a manobra, tocou a lateral do veículo, se desequilibrou e na hora de cair, caiu para o lado errado. Logo depois, ela foi atropelada pela roda traseira do ônibus. Infelizmente, mais uma morte no trânsito”, disse o delegado ao HiperNotícias.

 

Cabral informou ainda que a motociclista estava indo trabalhar na hora do acidente. Logo após o atropelamento, testemunhas acionaram uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que encaminhou Karen até o Pronto-Socorro de Várzea Grande (PSVG). No entanto, a jovem não resistiu aos ferimentos e morreu logo em seguida.

 

Já o motorista do ônibus, que não foi identificado, foi levado à delegacia, ouvido e liberado. 

 

O caso continua sendo investigado pela Deletran, que instaurou um inquérito. O procedimento deverá ser concluído em 20 dias.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto