Sexta-Feira, 08 de Setembro de 2017, 16h:36

Tamanho do texto A - A+

Investigação descarta envolvimento de policiais em tiroteio durante show de Marília Mendonça

Por: DA REDAÇÃO

Duas pessoas foram identificadas na autoria dos disparos de arma de fogo durante o show da cantora Marília Mendonça, em Sorriso, no dia 27 de agosto. Um dos tiros atingiu um jovem no rosto e outro, efetuado já no final do evento, feriu de raspão a costela de outra pessoa.

 

mm.jpg

 

Os autores não são policiais civis e nem militares de nenhum dos órgãos de Segurança Pública da força-tarefa de repressão a criminalidade, que ocorreu no período na cidade.

 

As circunstâncias dos disparos e a identidades dos autores foram esclarecidas pela equipe da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), que compôs os trabalhos da força-tarefa em Sorriso. A designação da equipe de Cuiabá ocorreu para que a investigação transcorresse de forma isenta e transparente, diante da suspeita inicial de policiais envolvidos.

 

À frente dos trabalhos, o delegado da DHPP, Marcelo Miranda Muniz, e equipe esclareceram que dois autores são moradores da cidade e foram identificados por meio das oitivas de testemunhas, das vítimas e de seguranças do evento.  "Foi apurado e, oficialmente, informamos que não se tratam de policiais civis ou militares. Encaminhamos medidas cautelares para análise da Justiça e no momento oportuno será revelada as identidades", afirmou.

 

Armados, os dois autores estavam na ala vip do evento, onde ficam os camarotes e bangalôs. Assim como uma centenas de pessoas, os suspeitos  entraram sem ser revistados pela segurança do evento. Na investigação, os seguranças confirmaram que houve determinação para não revistar os convidados dessa ala, devido ao poderio econômico e para que não houvesse constrangimentos.

 

A Polícia Civil esclareceu que os disparos ocorreram em dois momentos durante o show e ambos ocasionados por desentendimento entre dois grupos. No primeiro, houve uma discussão envolvendo uma mulher, que acompanhava um dos suspeitos, com  um grupo de mulheres. Um deles entrou para apartar a briga e nisso uma pessoa jogou um copo de cerveja que atingiu o suspeito. Este saiu com o amigo na direção que o copo foi atirado e encontrou um rapaz. Acreditando que era a pessoa que arremessou o copo, os suspeitos abordaram  mandando "vazar" e ainda se identificando como "policial civil", quando um deles atirou na direção do rapaz, que foi atingindo no rosto.

 

O segundo disparo foi efetuado no final do show e atingiu de raspão a costela da segunda vítima. "A primeira vítima sofreu uma tentativa de homicídio, pois o tiro foi em sua direção. A segunda, não retiro o dolo eventual do suspeito, no mínino, é culpa consciente", disse o delegado Marcelo Muniz.

 

As investigações apuram o envolvimento de outras pessoas.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto