Quarta-Feira, 04 de Outubro de 2017, 10h:40

Tamanho do texto A - A+

Homem que matou travesti atropelada, já tinha sido preso por matar dois irmãos em Cuiabá

Por: LUIS VINICIUS

Suspeito de atropelar e assassinar a travesti Nathalia Pimentel, após um desentendimento durante o programa sexual, Thiago Marques Tapajós, 28 anos, conhecido como “Thiagão”, já foi preso por ter assassinado dois irmãos, no bairro Cidade Alta e por tráfico de drogas, no bairro Tijucal, em Cuiabá. Além disso, Thiagão sofreu uma tentativa de homicídio no ano de 2012, também na Capital.

 

Montagem/HiperNotícias

travesti zero

 Thiago já matou dois e quase foi morto em 2012

Thiago foi preso na tarde de terça-feira (3), no Residencial Francisca Loureiro Borba, no bairro Osmar Cabral, em Cuiabá. Elefoi preso por cometer crime contra a travesti na região do Zero Quilômetro, bairro Jardim Potiguar, em Várzea Grande, no dia 24 de julho deste ano.

 

Em 2011, Thiago foi preso no bairro Cidade Alta, acusado de matar dois irmãos. Ele chegou a ficar cinco meses preso, mas foi liberado. Já em 2012, o suspeito foi preso no bairro Tijucal suspeito de comandar uma boca de fumo. Ele foi detido com o seu comparsa, Manoel Paulo de Moura Neto, de 20 anos.  

 

Morte de travesti

 

No vídeo, obtido na época com exclusividade pelo HiperNoticias, é possível verificar que Natália estava em frente a um motel conversando com outra travesti, quando o motorista do Gol passa e a atropela no momento em que ela está de costas.

 

A prisão de Thiago foi feita pela equipe do delegado Flávio Henrique Stringueta. No primeiro depoimento, o acusado negou a autoria do crime, mas deverá prestar depoimento nos próximos dias.

 

Segundo o delegado André Renato Gonçalves, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a investigação contou com informações de uma testemunha ocular do crime, que foi alvo de uma tentativa de atropelamento do mesmo suspeito, logo depois da morte de Natália.

 

Na época do crime, a delegada Juliana Palhares, responsável pelas investigações, ainda identificou que a placa do carro utilizado por Thiago era clonada. André descartou qualquer relacionamento anterior entre a vítima e o suspeito.

 

Antes de ser atropelada, Natália ajudou uma amiga, também travesti, que estava no carro de Thiago, negociando um programa. A travesti havia cobrado cerca de R$ 50, mas Thiago só queria pagar R$ 17, por isso os dois começaram a discutir dentro do carro. Ao ver a situação, Natália interveio e ajudou a amiga a sair do carro.

 

Logo após a discussão, Thiago deu a volta no quarteirão e atropelou Nathalia. Logo após o crime ele fugiu. Na época, Natália foi rapidamente atendida e ficou internada no Pronto-Socorro de Várzea Grande. Ela chegou em estado grave, foi intubada e encaminhada à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas não resistiu aos ferimentos e acabou tendo morte cerebral na tarde de terça-feira (25) e uma parada cardíaca que a levou ao falecimento na manhã do dia seguinte.

 

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 4

Leia mais sobre este assunto