Quarta-Feira, 09 de Maio de 2018, 17h:00

Tamanho do texto A - A+

Empresário será indiciado por racismo e injúria contra fotógrafa

Por: DA REDAÇÃO

O principal suspeito de dirigir xingamentos racistas à fotografa Mirian Rosa, de 32 anos, foi interrogado na tarde de segunda-feira (7), na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Adolescente, de Várzea Grande, e foi enquadrado nos crimes de racismo e também por injúria racial.

 

mirian rosa.jpg

 

Rafael André Janini, confessou a autoria dos áudios que enviou a vítima no dia 01 de maio, onde profere uma série de xingamentos em razão da cor/raça de Mirian.

 

Durante o interrogatório, de acordo com o delegado adjunto da unidade especializada da Polícia Civil, Cláudio Álvares Sant'Ana, o suspeito tentou relativizar seus atos, afirmando que teria agido para se defender após se envolver em discussão com a vítima em um grupo de rede social (whatsapp).

 

Apesar do “forte conteúdo” ofensivo dos áudios, Rafael afirmou não ser racista, que se declara negro (assim como sua família) e que por isso “não teria como ser racista”.

 

“Em momento algum foi apresentada qualquer demonstração ou prova de que Miriam tivesse ofendido Rafael anteriormente, como alegado em sua linha de defesa”, explica o delegado.

 

O interrogado será indiciado pelo crime de racismo em razão de ter ofendido - além de pessoa determinada (Mirian) - toda uma coletividade de afrodescentes ao afirmar, entre outras coisas, que “crioulo não serve para nada”, que é “saco de carvão, saco de lixo”, “tem que apanhar no tronco”, entre outros insultos.

 

Além de racismo, Rafael também será indiciado por injúria racial, por ter ofendido a honra, a dignidade e o decoro da vítima (Mirian).

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto