Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 10h:21

Tamanho do texto A - A+

Em vídeo, suspeito de matar namorada pede que ela reze "Pai Nosso" antes da morte

Por: MAX AGUIAR/LUIS VINICIUS

Após publicação de um vídeo, supostamente gravado momentos antes da morte da jovem Vanessa Tito Poquiviqui Ramos, de 21 anos, no bairro Três Barras, em Cuiabá, a Polícia Civil solicitou exames toxicológico, alcoolemia, resíduos de pele e unha e necropsia para saber se a jovem ingeriu algum tipo de bebida, veneno ou remédios.

 

O que chama atenção, é que em determinado momento, o suspeito chega a rezar a oração do "Pai Nosso" e, mesmo com a voz embargada, Vanessa tenta acompanhar o namorado. 

 

Reprodução/HiperNoticias

vanessa do tres barra

 

Ainda no vídeo, que circula nas redes sociais, Vanessa aparece totalmente fora de si, dizendo palavras incompreensíveis e fora de nexo. Para alguns especialistas, a jovem está "agonizando por conta da dor". As imagens, segundo a polícia foram gravadas pelo ex-companheiro da jovem, que pede pra ela se levantar, reagir e em seguida a indaga: "porque você fez isso, Vanessa?".

 

No primeiro laudo técnico dos médicos legistas do Instituto Médico Legal de Cuiabá, o motivo da morte de Vanessa seria asfixia e espancamento. No início da filmagem, espalhada pelas redes, ela aparece sangrando pela boca e com dificuldade na fala. 

 

Já em outro trecho do vídeo, que tem pouco mais de 15 minutos, Vanessa cai da cama. No rosto dela é possível ver machucados no queixo e testa feitas com algum objeto cortante. Ela aparece só de calcinha e blusa. "Ai, vai machucar ai. Depois vão falar que...", diz o rapaz que filma os minutos finais de vida da jovem. 

 

Por conta dessa imagem, a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), da Polícia Judiciária Civil, informa que já tem conhecimento das imagens e acredita que a divulgação do vídeo, por parte do suspeito, é uma tentativa de mudar a linha de investigação. "A Polícia Civil, em razão das investigações e também em respeito a família da vítima, considera prejudicial a divulgação ou compartilhamento do vídeo, que demonstra clara tentativa do investigado em desmontar a linha de homicídio qualificado como feminicídio, da investigação", diz trecho da nota da DHPP.  

 

O vídeo é analisado pela Núcleo de Inteligência da Delegacia, sob o comando da delegada Alana Cardoso, para saber o momento e as circunstâncias em que foi gravado. O principal suspeito do homicídio é o companheiro da vítima, Maycon Junior da Silva Dantas, 30 anos, que está com prisão temporária (30 dias) decretada pela 2ª Vara de Violência Doméstica de Cuiabá. Ele é  considerado foragido da Justiça.

 

Entre as diligências desenvolvidas no inquérito policial é aguardado o resultado de exames da Perícia Tecníca e Oficial (Politec). 

 

Atualizada às 11h15

Avalie esta matéria: Gostei +17 | Não gostei - 8

Leia mais sobre este assunto