Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 17h:46

Tamanho do texto A - A+

Dupla que matou mototaxista com 11 tiros na cabeça é preso pela DHPP

Por: REDAÇÃO

Dois homens suspeitos de um assassinato ocorrido em junho de 2017 foram presos pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), da Polícia Judiciária Civil,  nesta quinta-feira (08.02). No trabalho das equipes da DHPP, com o Núcleo de Inteligência e Grupo de Resposta Rápida de Homicídios (GRRH) mais de 47 tabletes de maconha foram apreendidos, a operação denominada "Turfe". 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

delegada juliana chiquito palhares

Delegada Juliana Palhares é a responsável pelo inquérito

Os suspeitos Ricardo dos  Anjos Sobral, 21 anos,  conhecido por Pikachu, e Wilison Pinheiro da Silva Miranda, 21, tiveram mandados de prisão temporária (30 dias), expedidos pela 12ª Vara Criminal de Cuiabá, nas investigações do homicídio do mototaxista Oscarlindo da Silva Evangelista, 37 anos, o “Dinho”, em 25 de junho de 2017. O primeiro foi preso no bairro Pedra 90 e o segundo no bairro São Sebastião, ambos na Capital. 

 

A vítima  foi assassinada com 11 tiros na cabeça e costas, por volta das 20h20. Seu corpo foi encontrado em uma estrada de chão, na região de chácaras do bairro Nova Esperança II, em Cuiabá. A motocicleta da vítima foi localizada caída cerca de 15 a 20 metros de distância do corpo.

 

A delegada Juliana Chiquito Palhares, que preside os trabalhos do inquérito policial, informou que durante as investigações diversas denúncias chegaram à DHPP, apontando como autor Ricardo dos Anjos Sobral, o  Pikachu, por rixa com a vítima Oscarlindo, pelo motivo que este teria matado um comparsa dele.

 

Segunda as denúncias, na época desse crime, Ricardo, o Pikachu, estava preso. Em averiguações, a Polícia Civil confirmou a prisão do suspeito e conseguiu informações de um companheiro de cela, que relatou ter ouvido de Pikachu: “a hora que eu sair eu vou matar o Dinho”. Logo que ele deixou a cadeia, a vítima foi executada. A susposta vítima, morta pelo Oscarlindo, ainda não é conhecida da unidade policial. 

 

As investigações apontam que o crime foi cometido com auxílio de Wilison, o chamado “Soreinha”. “Agora vamos proceder com os interrogatórios para saber quem efetuou os disparos. Mas ambos têm participação no homicídio”, disse Juliana.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

DHPP

 

Tráfico de drogas

 

Uma mulher, M.C.L.B.O., 29 anos, também foi presa em flagrante por associação ao tráfico de drogas. Ela é companheira de Wilison, que teve o mandado de prisão cumprido pela manhã, no bairro São Sebastião, em Cuiabá, e ainda foi autuado em flagrante por tráfico de entorpecentes.

 

Na casa, durante as buscas, os policiais encontraram 47,5 tabletes de diferentes tamanhos de maconha. A droga estava em cima do guarda-roupa embalada em saco de lixo preto, dentro de uma bolsa da mulher. “Essa droga não estava escondida e isso indica que ela tinha total conhecimento da existência”, disse a delegada, Juliana Chiquito Palhares.  

 

Conforme a delegada, a droga estava no quarto do filho de 4 anos da mulher, que no momento dormia sob o forte odor exalado pelo entorpecente no pequeno cômodo. Por conta disso, a mulher, assim como o companheiro, será enquadrada no artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) - submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.

 

Denúncia 197

 

A delegada destacou ainda a participação da comunidade nas investigações desse crime, diante todas as dificuldades da apuração, local ermo e sem testemunhas.

 

 “Foi fundamental a participação da comunidade, confiando no sigilo e no trabalho da PJC, no sentido de fazer as denúncias de forma anônima pelo  197. Elas são checadas e trabalhamos essas informações, na maioria são procedentes e auxiliam o trabalho da Polícia. Continuem confiando no 197”, agradeceu.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto