Sexta-Feira, 30 de Novembro de 2018, 07h:43

Tamanho do texto A - A+

Dois policiais militares são presos suspeitos de matar dono de bar no Zero KM

Por: LUIS VINICIUS

Dois policiais militares foram presos suspeitos matar o dono do Bar Mandala, identificado como Claudinei Pereira Mota, de 42 anos. O fato aconteceu na madrugada desta sexta-feira (30), no bairro Jardim Potiguar, região do Zero Km, em Várzea Grande. Os agentes foram baleados depois de tentarem fugir de uma equipe da Polícia Militar. 

 

Reprodução

Claudinei pereira mota.jpg

 

Os suspeitos foram identificados como Robson de Souza Ferreira e Arnaldo Jacob Muchel, ambos de 37 anos. Conforme informações da Polícia Militar, eles estavam no Bar Mandala, quando se envolveram em uma confusão com o proprietário do estabelecimento.

 

Durante o desentendimento, Claudinei teria empurrado um dos suspeitos que teria caído de chão. Diante disso, o assassino sacou uma arma e atirou no empresário. A Polícia Militar não informou qual dos militares atirou e nem por quantos tiros a vítima foi atingida.

 

Após os disparos, Robson e Arnaldo fugiram do local. Pessoas que estavam no estabelecimento colocaram a vítima em um carro e o encaminharam até o Pronto-Socorro de Várzea Grande (PSVG). No entanto, Claudinei não resistiu e morreu pouco depois de dar entrada na unidade de saúde. 

 

Policiais do 4º Batalhão foram acionados e saíram em busca da dupla. Em rondas pelas proximidades, os agentes viram os suspeitos correndo, momento em que aproximaram e deram ordem de parada para a dupla.

 

Porém, os acusados retiraram a arma da cintura e fizeram menção de apontar para os policiais. Diante da ameaça, os policiais atiraram nas pernas dos dois suspeitos.

 

Logo após serem baleados, os suspeitos se identificaram como policiais militares e foram encaminhados ao PSVG. Eles receberam atendimento e segundo o boletim médico, não correm risco de morte.

 

O corpo de Claudinei foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para ser realizado exame de necropsia.

 

O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A Polícia Militar também deverá abrir um procedimento para investigar o homicídio.

Avalie esta matéria: Gostei +6 | Não gostei - 1