Sexta-Feira, 11 de Agosto de 2017, 17h:54

Tamanho do texto A - A+

Com sinais de maus-tratos, criança de 2 anos morre em Cuiabá; mãe ri de situação

Por: LUIS VINICIUS

Uma criança de dois anos, identificado apenas como, A.C.O., morreu no final da manhã desta sexta-feira (11), após ser vítima de maus-tratos dentro de sua casa, no bairro Jardim Imperial II, em Cuiabá.

 

Reprodução

UPA PASCOAL RAMOS

 

A informação foi confirmada pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Pascoal Ramos. O que chama atenção é que após ser informada da morte do seu filho, a mãe da criança, ainda não foi identificada, riu da situação e não se mostrou nem um pouco triste com a morte de seu filho.

 

Tudo começou na manhã desta sexta-feira, quando o menino começou a sentir dores no estômago na casa onde morava com a sua mãe. Uma vizinha teria percebido que o menino não estava bem e chamou o seu irmão maior de 18 anos para leva-lo até uma unidade médica.

 

Imediatamente, o rapaz saiu do trabalho e foi até a sua casa buscar o seu irmão e o levou para a UPA do Pascoal Ramos. De acordo com uma fonte do HiperNotícias, o menino chegou a unidade médica com o estômago inchado e com sinais claros de desnutrição.

 

Neste momento, a mãe da criança foi chamada, mas disse que não estava preocupada e que não queria ir à UPA para ver o estado de saúde do seu filho.

 

No entanto, o Conselho Tutelar da região foi acionado e encaminhou a mulher até o hospital. No endereço, a mulher foi informada que seu filho não resistiu aos sintomas e acabou morrendo.

 

“Quando ela foi informada da morte do filho, ela simplesmente começou a rir. Não se mostrou nenhum pouco preocupada com a morte do filho. Em todo o meu tempo que trabalho aqui nunca tinha visto isso. Foi uma coisa de outro mundo”, disse uma funcionária da unidade hospitalar.

 

O corpo do menino foi encaminhado ao Hospital Júlio Muller para exames de necropsia.

 

O Conselho Tutelar e a Polícia Civil foram acionadas para atenderem o caso que será investigado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

Leia mais sobre este assunto