Quarta-Feira, 22 de Março de 2017, 14h:07

Tamanho do texto A - A+

Faixa exclusiva para ônibus gera transtorno entre motoristas que trafegam em Cuiabá

Por: RAYANE ALVES

Instalada há três meses na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), as faixas exclusivas para o transporte público viraram motivo de reclamações dos motoristas por causa dos grandes congestionamentos que têm se formado, independente se é horário de pico, ou não. Outro motivo de contestação é a aplicação indevida de multa aos condutores, que mesmo sendo proibida está sendo aplicada.

 

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) barrou a cobrança de multas por 120 dias, porém motoristas estão reclamando que já receberam a autuação. “Falaram que não iam cobrar. Eu fui fazer uma curva, entrei na faixa de ônibus e andei uns 50 metros. Fui multado. Não estou entendendo. O motorista de ônibus pode invadir a faixa do meio ou da esquerda, mas eu não posso andar na direita que sou multado?”, questionou o condutor, que preferiu não se identificar. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

transito/avenida do CPA

 Fluxo na terceira faixa é bem menor do que nas outras vias liberadas para veículos

A reportagem do HiperNotícias se deslocou até à Avenida do CPA para verificar como está o tráfego com a implantação da faixa. Por volta das 14h, apesar de vários trabalhadores já terem terminado o horário de almoço, o congestionamento estava intenso tanto para quem seguia do Centro para o Centro Político ou para quem fazia o caminho ao inverso. 

 

Enquanto estávamos lá, vários veículos chegaram a invadir a faixa exclusiva do coletivo, por não ter grande circulação, assim como os motoristas de ônibus trafegaram pela outra via que é liberada apenas para veículos menores, sem nenhuma fiscalização da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

 

O taxista Iclair Antonio dos Santos falou da sua indignação `à reportagem. Para ele, a Prefeitura de Cuiabá se precipitou em tomar uma decisão como essa porque não ajuda em nada para desafogar o trânsito. E, sim complicou mais a situação para quem percorre frequentemente pela região.

 

“Isso não está bom. Os motoristas de ônibus não respeitam a gente e aproveitam que o veículo é maior e entram do nada na nossa frente podendo causar, inclusive, um acidente. E eu não posso usar a faixa deles que posso receber infração. Na minha opinião, Cuiabá precisava melhorar as vias de acesso, porque a cidade não suporta mais a quantidade de veículos. Já em relação ao número de ônibus é bem menor”, avaliou.

 

Apesar do município ter decidido no dia 5 de março, que iria suspender em 120 dias a aplicação de multas para os condutores que fossem flagrados trafegando na faixa, Welton Santos que trabalha com o aplicativo do Uber na Capital, afirmou que recebeu uma autuação por ter circulado na terceira faixa na Avenida do CPA.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

faixa de onibus

 Taxista fala da indignação que a mudança trouxe para quem percorre pelo local

“Eram 16h e tava grande o congestionamento. E até hoje eu não sei como vai funcionar porque não existe uma campanha de orientação da Prefeitura. Acho que as pessoas precisam de uma reeducação para saber onde andar aqui em Cuiabá e não receber multas, porque parece que virou fábricas de multas onde você anda parece que tem um amarelinho de olho em você e aqui que é novo não tem um agente dando orientação. Recebi a autuação e perdi sete pontos na carteira porque foi considerada como gravíssima. Para minha gravíssima são ocorrências que envolvem excesso de velocidade ou furar um sinal vermelho”, desabafou.

 

Código de Trânsito Brasileiro

As alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), determinadas pelo Governo Federal, impõe mais rigor na punição aos motoristas que forem flagrados circulando nos corredores exclusivos. Dessa forma, o condutor que for pego dirigindo em corredores pode perder sete pontos na carteira de habilitação, pagar multa de R$ 191,54 além de ter o carro apreendido.

 

Antes, a infração era leve na faixa da direita (R$ 53,20 e 3 pontos) e grave em corredores à esquerda (R$ 127,69 e 5 pontos). Nos dois casos, não estava previsto a apreensão do veículo.

 

“Mesmo assim está tudo errado. Porque ainda não está valendo a aplicação de multas e nem mesmo as atuações. Queria saber porque isso está acontecendo. A papelada já chegou na minha casa”, indagou o motorista a Semob.

 

Outro problema enfrentado pelos motoristas de Cuiabá é na Avenida Fernando Correa da Costa. A Semob instalou semáforos na região com intuito de garantir fluidez no trânsito por conta da interdição da ponte Professor Benedito Figueiredo, que interliga o bairro Jardim Califórnia – Beira Rio, com a Avenida Engenheiro Quidauguro Fonseca, no bairro Coophema. O trânsito na ponte foi interrompido pela Defesa Civil, no último dia 16 de fevereiro, que verificou um processo de “desbarrancamento” iniciado em novembro do ano passado.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

faixa de onibus

Motorista analisa que Cuiabá precisa de terminais para coletivos

“Tudo que fizer será inútil. Ninguém consegue andar em nenhum dos lados da pista. Penso que ao invés de preocupar com faixa exclusiva a Prefeitura deveria ajudar o estado a corrigir os problemas encontrados na ponte”, defendeu a servidora pública Yasmin de Pinho.

 

Outro lado

Por meio de nota a assessoria da Prefeitura informou que desde a implantação da faixa, a fiscalização passou a ser feita, coibindo o uso inadequado dela e punindo conforme a Lei. No entanto, com a decisão do prefeito Emanuel Pinheiro em estender o período de orientação aos motoristas (por conta da utilização da Central de Monitoramento no apoio às fiscalizações), desde o dia 6 de março nenhuma multa foi aplicada.

 

“Os motoristas que cometem a infração estão sendo notificados quanto à irregularidade, mas nenhum processo administrativo está sendo aplicado. É necessário que o motorista verifique se a infração apresentada no documento não se refere a períodos anteriores a 6 de março, uma vez que antes da decisão de utilizar a Central de Monitoramento na fiscalização, os agentes de trânsito já atuavam neste sentido”, diz trecho da nota. 

Ainda segundo a nota, não existe no Código de Trânsito uma proibição quanto ao uso das demais faixas pelos ônibus. Segundo a Semob, o ideal para coibir esta postura seria a instalação de baias de acomodação nos pontos de ônibus, para garantir que eles não saiam de sua faixa exclusiva. Até que esta facilidade seja implantada, a Semob orienta os motoristas do transporte público a apenas realizar a ultrapassagem quando necessário e retornar à sua faixa exclusiva.

 

Já na Avenida Fernando Correa, a assessoria informou que não há faixa exclusiva. O congestionamento se dá pela interdição ponte. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

transito/avenida do CPA

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto




2 Comentários

Marco Aurélio - 20/04/2017

Poderia aproveitar para multar quem estreitou as avenidas de Cuiaba e Varzea Grande toda, e comprometeu todo o transito nessa região para implantação do VLT, e ainda levar de lambuja uma multa pela retirada das arvores que existiam principalmente na Avenida do CPA, Está é a forma mais suja e desonesta de assaltar o cidadão de bem que tenta sobreviver a esta zona.

Caroline - 23/03/2017

Gente... penso o seguinte, Cuiabá não é São Paulo, que tem varias e varias pistas, pensem bem, se la em SP o transito já não é la essas coisas tendo varias pistas imaginem aqui em Cuiabá que temos apenas 3 pistas.... o transito fica completamente insuportável mesmo. Sr. Prefeito... Cuiabá não tem pistas suficientes para conseguir fluir o transito. Quer multar... ótimo... mais faça o correto. É fácil tirar dinheiro de quem trabalha certinho né. Agora garanto se as autoridades maiores andarem nessas pistas proibidas não ganharam multa, porque vão alegar algum tipo de trabalho.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA