Terça-Feira, 24 de Outubro de 2017, 08h:20

Tamanho do texto A - A+

Armados com fuzis, metralhadora e mascarados, bandidos explodem Banco do Brasil

Por: LUIS VINICIUS

Bandidos invadiram a agência do Banco do Brasil e explodiram diversos caixas eletrônicos, na madrugada desta terça-feira (24), na cidade de Arenápolis (235 km de Cuiabá). Segundo informações da imprensa local, os criminosos usaram bananas de dinamites e a explosão chegou a causar danos na estrutura do prédio onde a agência fica instalada.

 

are.jpg

 

Os policiais da cidade afirmam que ao menos 10 bandidos participaram da ação criminosa. Além dos explosivos, os ladrões usaram fuzis e metralhadoras para invadir a agência e inibir a chegada de policiais. 

 

Ao entrarem no banco, os criminosos instalaram os explosivos próximo aos caixas eletrônicos. Enquanto três ficaram dentro da agência, os outros montavam guarda na praça, na esquina e na frente do banco.

 

A polícia não informou se os bandidos conseguiram levar dinheiro. Após cometerem o crime, a quadrilha atirou diversas vezes para cima para poder intimidar populares e até a Polícia Militar. "Eles agiram igual os criminosos do novo cangaço. Testemunhas afirmaram que todos tinham arma de grosso calibre, estavam encapuzados e com roupas pretas. Fugiram em rumo ignorado e não sabemos ainda se eles conseguiram dinheiro, mas o estrago dentro do banco foi grande", confirmou o comandante da polícia local. 

 

Logo após o crime, policiais militares e civis da cidade foram acionados e saíram em buscas dos criminosos. No entanto, a até a publicação da matéria, nenhum dos integrantes da quadrilha havia sido localizado.

 

Contudo, os bandidos abandonaram um Fox vermelho, próximo ao setor do colégio agrícola. Mas no local, não foram encontrados nenhum armamento ou equipamento que pudesse identificá-los.

 

Ousadia

 

Antes de cometerem o crime, os bandidos foram a delegacia da cidade e cortaram dois pneus de uma viatura da Polícia Civil de Arenápolis. Toda a ação criminosa foi flagrada pelas câmeras de monitoramento.

 

O crime será investigado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Civil.

 

 

Veja o vídeo

 

 

Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto