Domingo, 15 de Abril de 2018, 10h:34

Tamanho do texto A - A+

Juíza ataca de novo

Reprodução

juiza Anna Paula Gomes Freitas

 

Na semana passada, algumas postagens da juíza Anna Paula Gomes Freitas, da 2ª Vara Criminal de Tangará da Serra ganharam grande repercussão por seu teor polêmico, no qual “ debochava” do trabalho de advogado. Nesse fim de semana, ela atacou de novo. De biquíni tomando sol em uma praia ela publicou “Que saudade dos meus presos, #sqn”. A Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso  já acionou a corregedoria do Tribunal de Justiça para apurar a conduta da juíza. 




3 Comentários

Andrea Ronconi - 16/04/2018

Impressionante, como a Democracia se faz imperiosa quando é conveniente.... E, a tal “liberdade de expressão”, pela legislação é amparada. Todavia, o mais importante, é que haja discernimento e bom senso daqueles que pretendem tornar pública suas opiniões. Neste caso, a critica principal acerca dos comentários e atitudes da magistrada, não têm o condão de inibir seu direito de expressão, pelo contrário, refere-se tão somente a falta de conteúdo dos mesmos.... que em nada acrescentam ou estimulam os cidadãos a pensar de forma mais ampla e humanizada. Pois, são claramente ofensivas e preconceituosos. Até em virtude do cargo que ocupa, deveria fazer jus ao seu direito de expressão, com opiniões e ideias em prol de melhorias ao sistema carcerário e com mais respeito aos advogados que estão exercendo sua função. Enfim, buscar fazer sua parte por um País melhor!

Max Matos - 15/04/2018

Sem mais, Carlos!

Carlos Nunes - 15/04/2018

Puxa vida! Ainda tem ou não tem...liberdade de expressão, de opinião, de dizer o que pensa? Deixa a Juíza falar o que quiser. Tão policiando agora a vida da Juíza? Não estamos ainda em Cuba, ou na Coreia do Norte, ou na China. Tem muita coisa mais importante do que ficar vigiando vida de Juíza. Pelo andar da carruagem...daqui a pouco ninguém vai poder dizer mais nada...sem liberdade de expressão, de opinião, de dizer o que pensa. Tudo que disser vai ser vigiado, fiscalizado e punido. Já vi essa estória...é assim que começa a intervenção na vida dos cidadãos, quando assustar já é tarde demais. O cidadão vira fantoche do Estado (normas e regras), pior do que o Capitalismo, onde o cidadão vira escravo do dinheiro, mas pode recusar ou não. Parecem que querem implantar o Socialismo na marra no Brasil.

INíCIO
ANTERIOR
PRÓXIMA
ÚLTIMA