Quarta-Feira, 08 de Novembro de 2017, 14h:50

Tamanho do texto A - A+

CPI do Paletó

Após a adesão do vereador Toninho de Souza (PSD) ao requerimento para criar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), outros dois parlamentares da base assinaram o documento. Os vereadores Luis Claudio (PP) e Adevair Cabral (PSDB) apoiaram, na manhã desta quarta-feira (8), o requerimento e tornaram a não abertura da CPI do Paletó irreversível.  

 

Alan Cosme/HiperNoticias

adevair cabral

 Vereador Adevair Cabral também assinou ao requerimento 

O requerimento com as 11 assinaturas foi protocolado na Câmara de Vereadores e a CPI deve ser instaurada em três dias. 

 

De acordo com Luis Claudio, a motivação de ele ter apoiado a Comissão foi a mudança do objeto a ser investigado, que passou a abranger a busca e apreensão feita pela Polícia Federal na residência do prefeito Emanuel, quando foi apreendido um áudio do delator Sílvio Correa, gravado pelo ex-secretário de Indústria e Comércio, Alan Zanatta.

 

“Me deparei com uma CPI de critério subjetivo, ou seja, avaliar se esse ato atinge a imagem do gestor atual e o impeça de continuar na gestão. Esse é o critério que vai ser utilizado e sob esse critério eu gostaria de participar”, declarou Luis Claudio, ao HiperNotícias.

 

O requerimento apresentado pelo vereador Marcelo Bussiki (PSB), em 29 de agosto deste ano, tinha recebido apenas seis assinaturas, com a rubrica do requerente. Eram eles, o requerente, o vereador Gilberto Figueiredo (PSB), Abílio Brunini (PSC), Sargento Joelson (PSC), Felipe Wellaton (PV) e Dilemário Alencar (Pros).

 

Na segunda semana de setembro, o vereador Sargento Elizeu (PSDC) voltou de licença e completou sete assinaturas. Após quase um mês sem nenhuma adesão, o vereador Diego Guimarães (PP) voltou de licença e assinou a CPI no dia 31 de outubro, o que deu musculatura ao requerimento e tornou a abertura da CPI quase irreversível.

 

O voto de minerva partiu do vereador Toninho de Souza, que anunciou o afastamento da base do prefeito Emanuel, na sessão da última terça (7) e, na manhã desta quarta garantiu a abertura da Comissão. Toninho afirmou ter esperado muito tempo por uma explicação do prefeito e enquanto novos fatos surgiram, nenhuma explicação foi dada. Em contrapartida, a população cobra uma posição mais firme da Casa de Leis. 

Avalie esta matéria: Gostei +6 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto