Uma decisão  da Justiça Estadual pode tirar de circulação, a qualquer momento, 12 das 25 linhas de micro-ônibus que circulam em Cuiabá. Diariamente, 25 mil passageiros são atendidos pelo transporte alternativo na capital. As 12 linhas que estão na iminência de ser suspensas correspondem a cerca de 70% do total que utilizam do táxi-lotação como alternativa de transporte.   

 

Assessoria

microonibus

 Foto ilustrativa

A decisão judicial é do juiz Marcio Guedes, da 2ª Vara Especializada em Fazenda Pública.  Na decisão, do dia 28 de agosto, determina que a prefeitura Municipal de Cuiabá seja notificada e em 72 horas proceda a imediata retirada dos micro-ônibus (taxi-lotação) que fazem as mesmas linhas atendidas pelas empresas de ônibus Integração Transporte e Pantanal Transporte.

 

“Esta é mais uma tentativa espúria de retirar os permissionários do serviço. Esta já é a quarta vez que estas empresas tentam prejudicar a sociedade, porque mais do que a retirada dos micros das ruas, a população é quem é a principal atingida por esta sentença. É bom lembrar também que o transporte alternativo está há 27 anos em circulação na capital, enquanto os ônibus foram licitados há pouco mais de 10 anos”, critica o presidente do Seta, Marco Aurelio Sales. 

 

No primeiro semestre deste ano, o Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo de Passageiros do Estado de Mato Grosso (Seta) apresentou o resultado de um diagnóstico que apontou que o micro-ônibus, ou táxi lotação, participa do sistema de transporte com cerca de 8% da capacidade produtiva equivalente do sistema e é responsável por cerca de 13% da produção dos serviços em atendimento aos passageiros transportados.        

 

O diagnóstico indica, também, que o micro-ônibus produz menos poluição ambiental e tem melhor trafegabilidade devido à menor ocupação do espaço físico das vias. Atualmente, a frota de táxi-lotação de Cuiabá é 100% acessível atendendo a Norma Brasileira de Acessibilidade. O Seta opera o serviço de táxi-lotação desde de 1991, sendo o operador mais antigo do setor em operação na Capital.

 

De acordo com os estudos, o táxi-lotação é sustentável economica, social e ambientalmente. Ele participa do Sistema de Transporte com cerca de 8% da capacidade produtiva equivalente do sistema e é responsável por cerca de 13% da produção dos serviços em atendimento aos passageiros transportados. Além disso, produz menos poluição ambiental e tem melhor trafegabilidade devido à menor ocupação do espaço físico das vias.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei
Imprimir
Envie Esta Matéria
Comentar esta notícia

Leia mais sobre este assunto