Domingo, 10 de Fevereiro de 2019, 08h:03

Tamanho do texto A - A+

Pintor confessa assassinato de desafeto e é absolvido em júri popular

Por: KHAYO RIBEIRO

O pintor Eberson Roberto Figueiredo foi absolvido da acusação de ter matado Gilmar Manoel da Costa. O caso foi julgado em júri popular, na quarta-feira (06). A Justiça destacou que não havia provas suficientes para condenar Figueiredo. A juíza Mônica Catarina Perri Siqueira, da Primeira Vara Civil de Cuiabá, presidiu a sessão.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

juiza monica catarina perri

 Juíza Mônica Catarina presidiu audiência

Conforme depoimentos colhidos pelo Ministério Público Estadual (MPE), a vítima e o pintor teriam se desentendido por dívida de drogas.

 

O crime aconteceu no dia 20 de dezembro de 2006, no bairro Doutor Fábio Leite, em Cuiabá. Na ocasião, Manoel foi morto com diversos tiros. O acusado confessou a autoria do crime.

 

Durante o julgamento, o Conselho de Sentença reconheceu a materialidade do crime. Contudo, quando votado o segundo quesito, a Justiça não entendeu que foi Figueiredo o autor dos disparos que mataram a vítima.

 

“O Conselho de Sentença e as partes retornaram à sala pública do Plenário do Júri, onde ali, de portas abertas, a mmª. juíza leu a sentença pela qual absolveu o acusado Ebersson Roberto Figueiredo Nazário, qualificado nos autos”, narra trecho final da decisão. A absolvição se deu considerando falta de provas contra o acusado.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei