Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 12h:10

Tamanho do texto A - A+

MPE investiga presidente do Siagespoc por suposto desvio em contribuição sindical

Por: JESSICA BACHEGA

O promotor de Justiça, Célio Furio, determinou a abertura de inquérito civil para investigar a conduta do presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Polícia Civil do Estado de Mato Grosso (Siagespoc) Cledison Gonçalves Dias. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

cledison gonçalves/sindicato dos envestigadores

 Cledison Dias afirma que denúncia é estratégia política

A portaria, com a abertura da apuração, foi publicada no mês de agosto e acolhe a denúncia de servidores sindicalizados. Os trabalhadores da Polícia Civil relatam desvio dos valores referentes à mensalidade paga ao órgão.

 

O promotor pondera que a apuração é necessária “considerando que pode estar havendo desvio de recursos advindos de contribuições sindicais obrigatórias para fins pessoais”. Fúrio ressalta que há elementos que respaldam a abertura do inquérito.

 

O promotor salienta que o procedimento é necessário para se colher mais elementos para delimitar o objeto investigado. Para tanto, determina que o presidente do sindicato seja notificado e apresente esclarecimento acerca da denúncia. Requer, também cópia da prestação de contas dos anos de 2016 e 2017 com a relação dos valores da contribuição sindical arrecadada. 

 

O sindicalista foi procurado, e informou que já foi notificado e está reunindo os documentos solicitados para encaminhar ao Ministério Público Estadual (MPE). “Não há problema nenhum. Não temos nada a esconder”, ressalta Cledison.

 

O presidente do Sindicato afirma ainda que a denúncia faz parte de um movimento conspiratório iniciado pelo deputado Wancley, que tem interesse nas eleições do Siagespoc, que acontecem em dezembro.

 

“Essa denúncia veio depois que questionamos um repasse de R$ 2,5 milhões do governo para a Federação Mato-Grossense de Esportes Universitários. O repasse foi questionado pelo MPE e por nós. Pois dizem que não há dinheiro para as diárias dos policiais, mas tem para repasse para a federação da qual o presidente é um assessor do deputado”, afirma.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 2

Leia mais sobre este assunto