pesquisas

Sexta-Feira, 09 de Dezembro de 2016, 15h:27

Tamanho do texto A - A+

Liminar assegura prefeitura de Cuiabá receber da União até R$ 8 milhões da repatriação

Por: REDAÇÃO

A Procuradoria Geral do Município obteve liminar que obriga a União a depositar em juízo a quantia correspondente à participação de Cuiabá no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), oriunda da lei de repatriação. A decisão é do do juiz federal Raphael Cazelli de Almeida Carvalho, do Tribunal Regional Federal (TRF-1).

 

Marcos Lopes/HiperNotícias

 Prefeitura de Cuiabá adere campanha ?Justiça pela Paz em Casa?

 

Conforme a Secretaria de Governo e Comunicação de Cuiabá, o município deve receber entre R$ 6 milhões e R$ 8 milhões.

 

Conforme a Lei da Repatriação (Lei Federal nº 13.254/2016), todo o montante arrecadado a título de Imposto de Renda pago por contribuintes que aderiram ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária, além da multa tributária no valor de 100% sobre o IR pela declaração tardia, seria incluído na base de cálculo das transferências destinadas ao FPM.

 

Porém, o montante arrecadado a título de multa não foi repassado aos municípios. Segundo o procurador Rogério Gallo, a Receita Federal regularizou um total de R$ 169,9 bilhões, sendo que R$ 25,4 bilhões foram arrecadados a título de multa.

 

Desse valor, aplicando-se o percentual de 24,5% destinados ao FPM, conforme prevê a Lei da Repatriação, exatos R$ 6,2 bilhões deveriam ter sido designados aos municípios brasileiros, o que não ocorreu.

 

“Com a liminar, foi corrigida uma injustiça com o município de Cuiabá, porque recebemos apenas o valor do Imposto de Renda. Porém, o artigo 6º, parágrafo 1º, da Lei da Repatriação, prevê que a arrecadação seja compartilhada com Estados e Municípios na forma estabelecida pela Constituição Federal", disse o procurador.

 

A Constituição prevê que a União entregará 49% do produto da arrecadação dos impostos sobre a renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados, sendo 21,5% ao Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal, 22,5% ao FPM, 1% ao FPM que será entregue no primeiro decêndio do mês de dezembro de cada ano e mais 1% ao FPM, que será entregue no primeiro decêndio do mês de julho de cada ano.

 

Diante do exposto, o juiz Raphael Cazelli destacou, em sua decisão, que a União descumpriu a legislação, de modo que a supressão dos recursos decorrentes do FPM pode trazer prejuízos à manutenção dos serviços essenciais do Município.

 

“A atitude da União de não compartilhar com Estados, Distrito Federal e Municípios a multa malferiu a regra da intangibilidade das transferências constitucionais devidas aos entes da federação”, escreveu o magistrado.

 

Em caso de descumprimento da decisão, a União pagará multa diária de R$ 1 mil.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei








Leia mais sobre este assunto

Nó de Cachorro

Nó de Cachorro

Silval delator

Contas bloqueadas

Problema do MPF

Desculpas de Emanuel

Mais Notas

Últimas Notícias

Mais Lidas

Mais Comentadas