Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 14h:20

Tamanho do texto A - A+

Sem dar detalhes, delegada afirma que polícia investiga prefeita de Juara

Por: JESSICA BACHEGA

A juíza Selma Arruda, da Sétima Vara Criminal, ouve na tarde desta quinta-feira (20) as testemunhas arroladas pela defesa do ex-secretário de Planejamento Arnaldo Alves, no processo referente aos crimes investigados na Operação Sodoma 4. Entre os depoentes está a delegada da Delegacia Fazendária (Defaz), Alexandra Fachone, que também é testemunha de defesa do ex-secretário de Fazenda Marcel de Cursi. Logo ao ser questionada sobre investigações provenientes a pagamentos irregulares, Fachone revela que a prefeita Luciane Bezerra (PSB) está sendo investigada. Mas não deu detalhes sobre o inquérito. 

 

Alan Cosme/HiperNoticias

juiz selma arruda

 Juíza Selma Arruda é a presidente da audiência de instrução sobre a Sodoma

As oitivas estão marcadas para ocorrer durante toda tarde desta quinta e serão ouvidos, além da policial, Carla Cristina Araújo Vasques Moreno, Vinia Stocco e Naldymar Nascimento Rosa.

 

Os três  últimas arrolados apenas pela defesa de Arnaldo que é acusado de liberar o pagamento para a desapropriação do terreno onde foi implementado o Jardim Liberdade.

 

Nesta fase da Operação é investigado o desvio de R$ 15 milhões por meio do superfaturamento na desapropriação da área pelo qual o Estado pagou R$ 31 milhões. 

 

Mais informações em instantes

 

14h30 - Carla Cristina é a primeira a ser ouvida durante essa fase de oitivas. Ela já trabalhou com Arnaldo Alves e hoje e coordenadora de estudos geográficos no Estado. O réu era seu superior direto e eles se conhecem desde 1995.

 

Questionada pela juíza Selma Arruda sobre sua ligação com Arnaldo, ela relata que ao saber da investigação contra ele, principalmente por envolvimento nos desvios financeiros do Estado, ela ficou “surpresa” e que ele nunca pediu atenção especial para qualquer processo.

 

O depoimento de Carla foi rápido e logo ela foi dispensada da sala de audiências. 

 

 

Jessica Bachega - HiperNotícias

servidora

Servidora do Estado comenta que nunca viu nada ilícito por parte do secretário

14h45 - Em seguida o advogado João Cunha pediu a palavra para explicar a situação envolvendo o procurador Chico Lima, que falou com ele ao telefone ontem na carceragem do Fórum de Cuiabá. Cunha detalha que seu cliente teve uma crise de diabetes e pede a dispensa do ex-procurador das próximas audiências. "Ele é idoso e tem vários problemas de saúde", disse.

 

Por enquanto Selma não respondeu ao pedido do jurista. 

 

14h50 - A segunda testemunha é Vinia Stocco, servidora da Secretaria de Meio Ambiente. Ela também foi subordinada de Arnaldo na gestão de Silval Barbosa, que atualmente está preso no Centro de Custódia de Cuiabá. Ela afirma que nunca foi solicitado nada de irregular nos processos da Secretaria de Planejamento (Seplan), quando  trabalhou na pasta com Arnaldo.

 

A promotora Ana Bardusco, responsável pela acusação na Operação Sodoma, pergunta para a servidora de onde vem o dinheiro para o pagamento das indenizações para desapropriação e ela responde que é pago com valor da fonte 100 para onde vai a arrecadação do Estado. Esse dinheiro é usado para despesas gerais.

 

Vinia Stocco também conta que o processo de desapropriação começou em 1997 e foi concretizada em 2014.

 

 

Jessica Bachega - HiperNotícias

Delegada Alexandra Fachone

 Delegada Alexandra Fachone presta depoimento na Sétima Vara Criminal

15h20 - A delegada Alexandra Fachone responde a questionamento do advogado do ex-secretário Marcel de Cursi, Goulth Valente. Ele questiona a policial sobre as investigações a respeito de seu cliente.

 

A testemunha diz  que não cabia a Marcel de Cursi definir pagamentos. "Ele atendeu a um pedido de Pedro Nadaf, ex-secretário da Casa Civil,  E também receberia valores por isso", diz a testemunha. A delegada contou ainda que Cursi viabilizou o pagamento da desapropriação por meio da Secretaria de Fazenda e fez a proposta sete vezes.

 

"Cursi recebeu R$ 700 mil pelo serviço e é mais R$ 50 mil de outro esquema. Ao todo ele recebeu R $ 1 milhão de propina que usou para comprar ouro e lavar o dinheiro. O ouro foi adquirido com João Justino, então presidente da Metanat", revelou a delegada.

 

15h29 - A delegada cita a existência de provas contra Marcel. Explica que encontrou dois cheques da empresa de Filinto Müller nas contas da esposa de Marcel. Os cheques somaram R$ 50 mil. 

 

Fachone detalha que o advogado Levi Machado também foi beneficiado no esquema, já que seu escritório recebeu os repasses financeiros. Ao todo, R$ 15 millhões foram repassados a organização criminosa, segundo consta nos autos.

 

15h32 - O advogado João Cunha, que atua na defesa de Chico Lima, questiona a delegada sobre as declarações do empresário Filinto Müller na terça-feira, que afirmou que Pedro Nadaf em 2014 lhe pediu R$ 100 mil que seriam destinados ao pagamento de uma "emenda" para a ex-deputada estadual e atual prefeita de Juara, Luciane Bezerra (PSB). No mesmo depoimento, Filinto afirmou que depois descobriu que os R$ 100 mil foram dados para jornalistas não divulgarem o escândalo e que Nadaf teria usado o nome da parlamentar para levantar o dinheiro.

 

Na continuação, Cunha pergunta se a Delegacia Fazendária rastreou se cheques ou pagamentos com dinheiro oriundo do esquema tenham sido feitos para familiares de Luciane Bezerra. A delegada afirma existir uma inquérito policial sobre o assunto, mas evita dar detalhes pelo fato de Luciane ter prerrogativa de foro junto ao Tribunal de Justiça. "Existe um trabalho investigação, mas não podemos dar detalhes por ser sigiloso", disse numa referência a esposa do deputado estadual Oscar Bezerra.

 

De acordo com o inquérito, Pedro Nadaf pediu dinheiro para o Filinto dizendo que era para pagar uma dívida com Luciane Bezerra, atual prefeita de Juara. Mas o Filinto depois disse que descobriu que não era para Luciane, mas para os jornalistas Max Milas e Antonio Carlos Milas, que havia descoberto o esquema e queria dinheiro para não divulgar a notícia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto