Terça-Feira, 08 de Maio de 2018, 16h:41

Tamanho do texto A - A+

Juiz nega pedido de empresário para remoção de tornozeleira

Por: JESSICA BACHEGA

O juiz Jorge Luiz Tadeu, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, proibiu que jornalistas do Jornal Centro Oeste Popular, viagem até Mato Grosso do Sul para festa de carnaval e aniversário de uma sobrinha. O magistrado também negou a remoção da tornozeleira eletrônica usada por Max Feitosa Milas. Max, o irmão Maykon Milas e o pai Antonio Milas são investigados na Operação Liberdade de Extorsão.

 

Reprodução

Max Milas

 Max Milas pediu a remoção da tornozeleira

O trio é acusado de cobrar propina e empresários e políticos em troca de não publicar conteúdo comprometedor das vítimas em seu jornal.

 

A decisão que negou os pedidos dos réus foi publicada no Diário de Justiça Eletrônico (DJE) desta terça-feira (8).

 

Na ação, Maykon e Max pediram para se deslocarem até Ponta Porã (MS) para o aniversário de um ano da sobrinha e também participar de uma festividade de carnaval. 

 

A defesa de Max também pediu que o recolhimento noturno ao qual está submetido seja estendido até as 23 horas e que deixe de ser monitorado.

 

Todos os pedidos tiveram parecer contrário do Ministério Público Estadual (MPE) e foram negados pelo juiz. 

 

O pedido para as festividades teve a análise prejudicada pois perdeu o objeto, visto que passou da data a serem realizadas.

 

Leia também

Desembargador nega liberdade para jornalistas presos por extorsão

Juiz concede liberdade a jornalistas acusados de extorsão

Vereador Abilio denuncia repasse ilegal de verbas da Prefeitura de Cuiabá a grupos de mídias

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1

Leia mais sobre este assunto